Definidos os nomes do Governo de Hatoyama no Japão

Maribel Izcue. Tóquio, 15 set (EFE).- Yukio Hatoyama, líder do Partido Democrático (PD), concluiu hoje o perfil de seu novo Governo que será anunciado na quarta-feira, após tomar posse como primeiro-ministro do Japão.

EFE |

Hatoyama será eleito chefe do Executivo em uma sessão extraordinária da Dieta (Parlamento), na qual tem o respaldo de dois terços da Câmara Baixa, graças à histórica vitória de sua formação nas eleições de 30 de agosto.

Antes da votação, o ainda primeiro-ministro e líder do Partido Liberal-Democrata (PLD), Taro Aso, cumprirá o último compromisso público como responsável do Governo, que será anunciar a sua renúncia como primeiro-ministro.

Aso antecipou a intenção de deixar a liderança do PLD, pouco depois do golpe eleitoral sofrido pelo seu partido, retirado do Governo após 54 anos no poder.

As linhas do gabinete de Hatoyama, 62 anos, foram definidas hoje durante a assembleia do partido, que segundo o chefe de Governo trará ao Japão ares de mudança e responderá às necessidades do povo.

Apesar disso, os primeiros nomes divulgados pela imprensa japonesa pertencem à velha-guarda do PD, como o titular de Finanças, Hirohisa Fujii, um veterano político de 77 anos que já ocupou o mesmo ministério entre 1993 e 1994, durante o breve período em que o Japão não esteve governado pelo PLD.

De raízes conservadoras, Fujii defende que as políticas sociais devem ser financiadas com impostos, rejeita a emissão em massa de dívida e tem posição contrária ao mercado de divisas.

Ainda farão parte do Gabinete, os líderes das duas formações minoritárias associadas com o PD, o Novo Partido do Povo (NPP) e o esquerdista Partido Social Democrata (PSD).

A advogada e ex-senadora Mizuho Fukushima poderá ser aos 53 anos a mais jovem ministra, a frente da pasta de Assuntos do Consumidor.

Entre suas missões, está reverter a declinante taxa de natalidade japonesa, a segurança alimentar e a igualdade de gênero.

O número um do NPP, Shizuka Kamei, um veterano político e ex- policial de 72 anos, entrará no Governo como ministro de Serviços Financeiros, segundo a agência local "Kyodo".

Ele será responsável por supervisionar a privatização dos serviços postais japoneses, medida à qual se opôs.

Kamei, um nome de peso na política japonesa, é amigo do ex-presidente peruano Alberto Fujimori, quem concorreu nas listas do NPP em 2007, quando tentou, sem sucesso, buscar uma cadeira no Senado japonês.

Como ministro de Assuntos Exteriores, Hatoyama nomeará o então secretário-geral do PD, Katsuya Okada, um advogado de 56 anos. Com pouca experiência política, ele defende à manutenção de uma posição mais independente com relação aos Estados Unidos (EUA) e o esforço de reforçar o papel do Japão na Ásia.

O ministro porta-voz do Governo será Hirofumi Hirano, 60 anos, quem até agora era o braço direito de Hatoyama.

Com o novo Gabinete japonês, Hatoyama começará na quarta-feira um Governo de "políticos, não burocratas".

A maioria dos integrantes do novo Governo tem longa trajetória na oposição, pouca experiência em cargos ministeriais e quase a metade ocupará o plenário pela primeira vez.

Para preparar os novatos, Hatoyama organizou um seminário educativo aos políticos, detalhou a agência local "Kyodo".

O encarregado do seminário, Naoto Kan - responsável do Escritório de Estratégia Nacional -, advertiu que os mesmos deverão ser vigilantes durante a legislatura e manter resultados tangíveis para terem o apoio dos cidadãos. EFE mic/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG