Déficit nos EUA triplica e chega a US$ 455 bilhões

O déficit orçamentário americano triplicou de 2007 para 2008 e atingiu US$ 455 bilhões, anunciou o secretário do Tesouro, Henry Paulson, nesta terça-feira. O déficit representa 3,2% do PIB (Produto Interno Bruto) dos Estados Unidos e, segundo Paulson, reflete os problemas no mercado imobiliário e a desaceleração da economia americana.

BBC Brasil |

Analistas afirmam que os resultados serão um tema importante na campanha para a Presidência dos Estados Unidos, pressionando os candidatos a oferecer políticas alternativas para contornar o problema.

Nesta terça-feira, o candidato republicano, John McCain, apresentou seu plano contra a crise econômica, um dia depois de seu rival, o democrata Barack Obama, ter anunciado sua proposta.

Mercados
Os mercados viveram nesta terça-feira um dia de relativa tranqüilidade depois do anúncio do presidente americano, George W. Bush, de que o governo vai injetar uma grande quantidade de capital (US$ 250 bilhões) para comprar ações de bancos em dificuldades nos Estados Unidos.

Na Europa, o índice Dax, da Alemanha, fechou em alta de 2,7%, e o FTSE, de Londres, teve valorização de 3,2%.

Em Nova York, o índice Dow Jones chegou a subir 4%, mas acabou fechando o dia em baixa de 0,82%. O Nasdaq fechou em queda de 3,54%.

No Brasil, o Ibovespa, da Bolsa de Valores de São Paulo, fechou em alta de 1,81%.

As bolsas da Ásia também refletiram uma maior confiança dos investidores diante das novas ações para enfrentar a crise financeira global.

No Japão, o índice Nikkei 225 fechou a terça-feira com alta de 14,2%, a maior já registrada em um único dia, depois da reabertura da bolsa, que esteve fechada na segunda-feira por causa de um feriado.

Em Hong Kong, o índice Hang Seng fechou em alta de 3,2%, e a bolsa sul-coreana fechou com alta de 6,14%.

"Há um alívio de que os bancos provavelmente não vão falir graças aos planos de injeção de capital", disse o analista Koichi Ogawa, da Daiwa SB Investments.

Pacote americano
Ao anunciar os detalhes do plano, em Washington, o presidente Bush disse que o dinheiro para a compra das ações dos bancos sairá do pacote de US$ 700 bilhões aprovado pelo Congresso em meados deste mês e é uma "medida de curto prazo para garantir a viabilidade do sistema bancário americano".

"O governo federal vai usar uma parte das centenas de bilhões de dólares do plano de ajuda para injetar capital nos bancos, comprando ações", disse.

Em um pronunciamento curto, o presidente americano também afirmou que o governo vai garantir temporariamente as dívidas de bancos para lidar com a atual incapacidade das instituições de emprestar dinheiro.

O presidente afirmou que, quando voltarem às suas condições normais, os bancos serão encorajados a readquirir as ações que foram compradas pelo governo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG