Déficit fiscal dos EUA bate recorde ao chegar a US$ 438 bilhões

WASHINGTON - O déficit primário dos Estados Unidos atingiu a cifra recorde de US$ 438 bilhões no ano fiscal de 2008, que acabou em 30 de setembro, informou hoje a Escritório Orçamentário do Congresso (CBO, na sigla em inglês).

EFE |

Segundo os números apresentados, o déficit deste ano supera em US$ 35 bilhões o de 2004, que era o maior até agora, e quase triplicou em comparação com os US$ 162 bilhões de 2007.

"Esta Administração será responsável pelos cinco piores déficits orçamentários da história dos EUA", afirmou nesta terça-feira o democrata John Spratt, presidente do CBO.

O CBO baseia seus cálculos em dados do Departamento do Tesouro, que em breve publicará seu próprio relatório.

O déficit recorde dos EUA se deve a um aumento considerável nos gastos com defesa e outros programas, e à diminuição na receita do Estado, por sua vez, relacionada à atual crise econômica.

As despesas do Governo também aumentaram por conta do crescimento do desemprego e do programa de saúde Medicaid, que ajuda os pobres.

Outro fator que contribuiu para aumentar o déficit fiscal dos EUA foi o pacote de estímulo fiscal de US$ 168 bilhões, lançado para minimizar os efeitos da crise nos lares americanos.

Segundo as previsões do CBO, o rombo fiscal aberto este ano continuará em 2009, e o próximo presidente dos EUA herdará um déficit que, segundo alguns especialistas, pode ser maior que o registrado agora.

    Leia tudo sobre: deficiteua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG