Belgrado, 22 jul (EFE).- A defesa do suposto criminoso de guerra servo-bósnio Radovan Karadzic recorrerá contra a extradição de seu cliente ao Tribunal Penal Internacional para a Antiga Iugoslávia (TPII), em Haia.

O anúncio foi feito hoje pelo advogado de Karadzic, Svetozar Vujacic, em entrevista à agência de notícias sérvia "Tanjug", poucas horas após a divulgação da detenção de seu cliente.

Ontem à noite, o juiz especial sérvio encarregado de criminosos de guerra, Milan Dilparic, assegurou que não há nada que possa impedir a extradição de Karadzic ao Tribunal de Haia.

O advogado de Karadzic tem agora três dias para recorrer à extradição de seu cliente.

A rádio de Belgrado "B92" assegurou hoje que Karadzic não negou sua identidade ao ser detido em um ônibus nas proximidades de Belgrado.

O primeiro interrogatório do suposto criminoso de guerra no Tribunal Especial aconteceu ontem à noite, às 20h (de Brasília), e durou aproximadamente uma hora e média, segundo a "B92".

Vujacic disse que durante o interrogatório, o acusado se manteve em silêncio e só disse que todo o caso é uma "farsa". EFE sn/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.