Declarado estado de emergência após ciclone que varreu Mianmar

Miguel F. Rovira Bangcoc, 4 mai (EFE).

EFE |

- O Governo militar de Mianmar (antiga Birmânia) declarou estado de emergência no sul do país, incluindo Yangun, a antiga capital, depois que o ciclone Nagris causou pelo menos cinco mortos e deixou hoje rastros de destruição.

Os fortes ventos, de 190 a 240 km/h, causaram o corte da provisão de eletricidade e telefone em todas os povoados do delta do rio Irrawaddy, segundo informou a televisão estatal birmanesa após retomar a emissão.

O estado de emergência em Yangun, Pegu, Irrawaddy e nos estados Mon e Karen, foi declarado pelo general Thira Thura Tin, primeiro-secretário da Junta Militar, que tenta avaliar os danos e, até o momento, não facilitou informação sobre vítimas.

Segundo a rádio "Mizzima", as vítimas morreram na antiga capital por causa da queda de árvores ou ao receber algum golpe dos objetos que o vento arrancava dos prédios.

Em Yangun, onde residem cerca de 5 milhões de pessoas, vários edifícios pequenos e próximos à universidade caíram parcialmente, e as ruas da cidade estavam hoje quase desertas e podiam ser vistos numerosos danos em quase todas as partes, de acordo com as declarações de diferentes moradores.

Os fortes ventos levantaram os telhados de centenas de casas, derrubaram antenas e arrancaram várias árvores das ruas de Yangun.

Segundo a televisão estatal, quase a metade dos prédios das cidades e povoados do delta do rio Irrawaddy e do litoral da baía de Bengala, foram danificados ou se desabaram.

Pelo menos quatro navios amarrados nos píeres de Yangun, naufragaram por causa das ondas de quase 3,5 metros de altura, disse a imprensa estatal birmanesa.

Enquanto em muitos lares geradores eram usados para atenuar a falta de eletricidade, a companhia estatal de energia anunciou por meio da televisão que demorará várias semanas para restabelecer o serviço em Yangun.

Um helicóptero militar efetuou de manhã vários vôos sobre o centro de Yangun para, segundo os habitantes, examinar os danos causados pelo ciclone de categoria 3, que atingiu o sul do país por volta do meio-dia de sábado, indo em direção à vizinha Tailândia.

Em Bangcoc, a capital tailandesa, a representação regional das Nações Unidas disse que os chefes de suas agências humanitárias terão na próxima segunda-feira uma reunião em Yangun com a Cruz Vermelha Internacional com a finalidade de examinar a situação em Mianmar após a passagem do ciclone e preparar um plano de ajuda.

O estado de emergência foi declarado uma semana antes da realização, no dia 10 de maio, de um plebiscito para aprovar o texto constitucional redigido pelo regime militar sem contar com o apoio da oposição democrática.

As autoridades, que controlam todos os meios de comunicação do país, não disseram se a catástrofe afetará a realização do plebiscito nas regiões atingidas.

Na Tailândia, antes de o ciclone tropical atingir o território, o Governo declarou estado de alerta em 16 províncias do norte e do oeste do país nas quais são previstas inundações e deslizamentos de terra.

O departamento tailandês para a Prevenção e Combate de Desastres indicou que "até o próximo dia 5 de maio acontecerão intensas chuvas nas províncias do norte e do centro da Tailândia", incluindo as turísticas Chiang Mai, Chiang Rai, e Mae Hong San. EFE mfr/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG