Declaração do papa sobre gays foi prejudicial, dizem ativistas

Gays e grupos de defesa dos direitos dos homossexuais criticaram, nesta terça-feira, declarações feitas pelo papa Bento 16, que disse que salvar a humanidade do comportamento homossexual ou transexual é tão importante quanto salvar as florestas da destruição. Segundo o Movimento Gay e Lésbico Cristão da Grã-Bretanha, os comentários do pontífice foram irresponsáveis e inaceitáveis. A líder do Movimento, Sharon Ferguson, afirmou que esse tipo de declaração justifica maus tratos a gays.

BBC Brasil |

A declaração também repercutiu na Itália, onde o deputado transexual, Vladimir Luxuria, concordou que as palavras do papa são prejudiciais.

"Eu acho que é muito danoso para o transexual católico. Nós não nos sentimos como pessoas que queremos destruir algo, mas como pessoas que querem construir sua verdadeira identidade, suas relações com suas famílias e relações com o mundo", disse Luxuria.

Resolução

Os comentários de Bento 16 foram feitos em um pronunciamento a clérigos no Vaticano. Segundo ele, não é "metafísica anacrônica" se referir à "natureza humana como 'masculina' ou 'feminina'". Isso teria se originado na "linguagem da criação, que, se desprezada, significaria a autodestruição dos humanos".

"Florestas tropicais merecem, sim, nossa proteção, mas o ser humano... não merece menos que isso", finalizou o pontífice.

Mark Dowd, um estrategista gay do grupo cristão "Noah", que luta por medidas para deter as mudanças climáticas, disse que as afirmações do papa são "compreensíveis, mas mal orientadas e infelizes".

Dowd disse que compreende a visão do papa de que, na criação, as florestas tropicais eram protegidas e homem e mulher complementavam um ao outro, ter filhos e viver felizes. "O problema é que, se você estudar ecologia seriamente como qualquer homem inteligente faria, e o papa é um homem fantasticamente inteligente, você percebe que a ecologia é algo complexo, como todo tipo de interdependência estranha, e o mesmo se aplica á sexualidade humana", contrapõe.

Outro militante da causa gay falou sobre o assunto. Derek Munn, representante do grupo Stonewall, afirmou que ficou "um pouco espantado com a conexão entre casais de gays e lésbicas, vivendo suas vidas em relações carinhosas e com fidelidade, e as mudanças climáticas, que podem destruir o planeta".

"É evidente que homens e mulheres são diferentes, mas é exagerado dizer que, a menos que a pessoa esteja em uma relação heterossexual, que possa produzir filhos, sua vida humana tem menos valor", completou.

Embora não qualifique o homossexualismo em si um pecado, a Igreja Católica considera os atos homossexuais pecaminosos e se coloca contra o casamento entre homossexuais.

Neste mês, o Vaticano se manifestou contrário a uma proposta de resolução das Nações Unidas que poderia tornar universal a descriminação da homossexualidade, embora seja contra a discriminação dos homossexuais.

Leia mais sobre: gays - Papa

    Leia tudo sobre: papa

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG