Decisão judicial pode levar Itália a adiar eleições

A Itália pode ser forçada a adiar as eleições parlamentares deste mês por causa de um caso judicial iniciado por um partido que havia sido excluído da disputa. Uma corte administrativa readmitiu o Partido Democrata Cristão no pleito, o que pode gerar problemas.

Agência Estado |

Outra corte italiana deve ainda confirmar a decisão judicial. Caso isso ocorra, a sigla deve ser readmitida na disputa. O Partido Democrata Cristão poderia então pedir um adiamento das eleições para realizar sua campanha. O ministro do Interior, Giuliano Amato, disse a repórteres que ele "não pode excluir" a possibilidade de um adiamento da votação de 13 e 14 de abril.

O líder da oposição conservadora Silvio Berlusconi, favorito a vencer e ficar com o cargo de primeiro-ministro, pediu ao partido que permita que a votação ocorra na data já indicada. Walter Veltroni, candidato de centro-esquerda, também se colocou "absolutamente contra" o adiamento.

O Ministério do Interior divulgou comunicado informando que os advogados do governo tentariam manter a data. Isso porque os procedimentos eleitorais já estão em curso.

O Partido Democrata Cristão teve inicialmente seu pedido de concorrer negado. Funcionários eleitorais julgaram que o símbolo da sigla lembra muito o de outro partido centrista.

A legenda dominou a política italiana por décadas, mas perdeu espaço após a revelação de escândalos de corrupção envolvendo seus líderes, na década de 1990.

Leia mais sobre: eleições na Itália

    Leia tudo sobre: eleições na italia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG