Funcionários da Agência Antidrogas dos Estados Unidos (DEA) revistaram nesta terça-feira uma farmácia em Las Vegas (Nevada, oeste) com o objetivo de apreender documentos relativos às prescrições emitidas pelo médico particular de Michael Jackson, Conrad Murray, confirmou um agente oficial.

"Posso confirmar que isto faz parte do inquérito (sobre a morte) de Michael Jackson", disse à AFP o porta-voz da DEA em Las Vegas, José Martinez, após duas horas de investigações na farmácia.

Uma equipe de sete agentes da DEA e seis membros da polícia de Las Vegas, além de três investigadores do Departamento de Polícia de Los Angeles (LAPD), deixaram o local às 11h00 locais (15h00 de Brasília), com uma pequena caixa e algumas pastas.

Os agentes chegaram à farmácia Applied em busca de discos rígidos dos computadores, prescrições e faturas de envios de medicamentos feitos pelo cardiologista.

Uma fonte próxima à investigação disse à AFP que materiais obtidos em outra batida, realizada no dia 28 de julho, revelaram que alguns dos medicamentos obtidos pelo doutor para Jackson haviam sido comprados na farmácia Applied.

Murray, de 51 anos, era médico exclusivo de Michael Jackson e estava com o cantor quando ele sofreu uma parada cardíaca no dia 25 de junho.

str-pb/fb/ap

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.