De olho no eleitorado jovem, Obama defende governo e pede 'tempo'

Presidente americano participou do programa "Daily Show with Jon Stewart", na tentativa de conseguir votos para os democratas

iG São Paulo |

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, participou na noite de quarta-feira do programa de TV "Daily Show", na tentativa de atrair votos do eleitorado jovem para o partido Democrata. A poucos dias das eleições legislativas, que ocorrem em 2 de novembro, Obama defendeu o que seu governo fez até agora e afirmou que será preciso mais tempo para conseguir a prometida "mudança".

"Levamos adiante uma agenda que está fazendo diferença na vida das pessoas todos os dias", afirmou Obama. "É suficiente? Não. Por isso espero, e acho que todos os democratas esperam, que as pessoas queiram mais progressos."

AFP
Obama concede entrevista ao apresentador Jon Stewart

No programa, Obama também defendeu a reforma da saúde que conseguiu aprovar no início deste ano, rebatendo acusações de que as mudanças são "tímidas". "Acho que a maioria das pessoas diria que essa legislação é uma das mais significativas que já vimos nesse país", afirmou.

O comediante Jon Stewart, apresentador do "Daily Show", fez perguntas difíceis ao presidente. Em certo momento, ele questionou se Obama tinha trocado seu slogan da campanha de 2008, "Yes we can" ("sim, nós podemos") por "Yes we can, given certain conditions" ("sim, nós podemos, sob certas condições").

Obama fez uma pausa antes de responder. "Eu acho que diria: 'sim, nós podemos, mas...", disse ele, sendo interrompido pela risada do apresentador. "Mas não vai acontecer da noite para o dia", completou.

As piadas de Jon Stewart foram um preço que a Casa Branca aceitou pagar pela oportunidade de alcançar o público do programa: jovens com tendência democrata que votaram em peso em Obama na eleição de 2008, mas que estão insatisfeitos com ele. A aparição no programa, a poucos dias das eleições legislativas americanas, teve como objetivo convocar o eleitorado jovem, crucial para uma vitória democrata. Obama foi o primeiro presidente em exercício a participar do "Daily Show".

Resquício de esperança

A participação de Obama foi anunciada após as últimas pesquisas revelarem um resquício de esperança para os democratas, principalmente na Califórnia, onde os milhões de dólares gastos pelos republicanos não afetaram os candidatos de esquerda.

A senadora democrata que tenta a reeleição, Barbara Boxer, ficou à frente, com 52 pontos, distanciando-se da ex-dirigente da Hewlett-Packard Carly Fiorina, que tem 43 pontos, segundo uma pesquisa da Universidade de Suffolk. Jerry Brown, candidato democrata à sucessão do governador Arnold Schwarzenegger, conta, na disputa, com 50 pontos contra 42 da rival republicana Meg Whitman, ex-dona do eBay, segundo a sondagem.

Outras pesquisas mostram avanço dos democratas em Virgínia Ocidental, Pensilvânia e Nevada, onde os candidatos democratas ao Senado podem sair de situações difíceis e ajudar o partido do presidente.

Já na Câmara, os republicanos devem facilmente obter os 39 assentos suplementares que faltam para retirar dos democratas a maioria, segundo o cientista político Charlie Cook. Ele previu, no canal MSNBC, que os republicanos conseguirão entre 48 e 60 assentos.

Sedução

Enquanto Obama se lança em sua última missão de sedução voltada para os jovens, o ex-presidente Bill Clinton afirmou ao canal ABC que seria "um enorme erro dar-se por vencido". "Jamais vi uma eleição tão acirrada quanto essa", disse o ex-presidente em Chicago, onde ele foi dar apoio ao democrata Alexi Giannoulias, candidato ao antigo cargo de senador de Barack Obama.

Os 435 assentos da Câmara dos Representantes, 37 dos 100 assentos dos senadores (dois por Estado), e 37 postos de governador serão renovados no dia 2 de novembro.

Com EFE, AFP e informações do The New York Times

    Leia tudo sobre: obamajon stewarteleições legislativasdemocrataseua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG