De esquerda ou de direita, o próximo presidente americano será canhoto

O próximo presidente dos Estados Unidos, seja John McCain ou Barack Obama, será novamente um canhoto, como inúmeros chefes da Casa Branca, de Ronald Reagan a Bill Clinton, uma estatística singular que intriga a imprensa americana.

AFP |

Desde 1974, os Estados Unidos tiveram quatro presidentes canhotos: Gerald Ford, Ronald Reagan, George Bush pai e Bill Clinton, destacou recentemente o New York Sun.

Mesmo entre os vice-presidentes ou candidatos infelizes, o número de canhotos é super-representado com Al Gore, Robert Dole, John Edwards ou Ross Perot.

A proporção de canhotos na sociedade americana é de 10% a 12% aproximadamente o que torna ainda mais misterioso o grande número de líderes políticos de esquerda durante as últimas décadas.

"A presidência esteve nas mãos de canhotos durante 22 anos nos últimos 34 anos", revelou o Washington Post.

Os canhotos que usam mais o hemisfério direito de sua cérebro seriam mais aptos a "visualizar o conjunto de um problema, a fazer várias tarefas ao mesmo tempo, a dar provas de criatividade", comentou o New York Daily News.

Matemáticos, artistas, arquitetos seriam com mais freqüência canhotos, dizem os jornais, citando como exemplo Michelangelo, Leonardo da Vinci, Albert Einstein e Marilyn Monroe.

Os de gerações mais antigas, por terem sofrido pressões para entrar na norma de uma sociedade dominada por destros, têm mais perseverança, chave do sucesso em política, afirmou ainda o Washington Post. O jornal destacou que um canhoto nascido antes dos anos 1950 como John McCain tinha dificuldades porque enfrentavm as pressões dos professores na escola. Em 1900, a proporção dos que ousavam se dizer canhotos era apenas 3% na sociedade americana, segundo uma pesquisa da National Geographic.

Ainda na nossa época, ser canhoto ainda não é bem visto, enquanto que na história a utilização da mão esquerda era associada ao mal e à falta de educação.

Em 1988, um artigo do Washington Post questionava a candidatura de George Bush pai: "Queremos um presidente canhoto?, dizia o título. Mais tarde, quando o presidente cuidava de um descontrole da tireóide, comentaristas brincavam que os canhotos seriam mais propensos a doenças auto-imunes da tireóide".

"Este ano, após a eleição de novembro, eles devem trocar as tesouras e os abridores de garrafa da Casa Branca", concluiu o New York Daily News.

Mas "cientificamente falando, o que este país precisa, é de um líder ambidestro", resumiu o Washington Post.

vmt/lm/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG