David Fisher construirá primeiro arranha-céus giratório de N.York

Nova York, 24 jun (EFE) - O arquiteto italiano David Fisher anunciou hoje que Nova York será o próximo lugar onde se materializará o projeto da Torre Dinâmica, o primeiro arranha-céus giratório e auto-suficiente energeticamente e uma idéia que já foi implementada em Dubai e Moscou. Falamos com vários promotores e a terceira torre será construída em Nova York, mas atualmente não posso dar mais detalhes, explicou Fisher durante a apresentação do projeto na cidade. Fisher acrescentou que recebeu pedidos para levar a Torre Dinâmica para Canadá, Alemanha, Itália, Coréia do Sul e Suíça. O arquiteto também anunciou que hoje se abre a lista para poder reservar uma das casas no edifício de Dubai que, assim como o de Moscou, começará a ser construído este mesmo ano e, previsivelmente, estará concluído no final de 2010. O arranha-céu de Emirados Árabes medirá 420 metros de altura e terá 80 andares. Os primeiros 20 serão escritórios, os 15 seguintes um hotel seis estrelas, os 35 seguintes apartamentos de luxo (desde 124 metros quadrados) e os últimos dez, casas de 1.200 metros quadrados com elevador privado, jardim, piscina e estacionamento dentro do apartamento.

EFE |

Segundo os cálculos prévios, o preço de um metro quadrado em um apartamento nos andares superiores do futuro arranha-céus poderia chegar a US$ 30 mil.

Cada uma das plantas do primeiro edifício em movimento gira a uma velocidade escolhida pelo inquilino, e rota de forma independente dos demais andares, pelo que o edifício muda de forma constantemente.

A Torre Dinâmica também é o primeiro edifício energeticamente auto-suficiente e será construído inteiramente com peças pré-fabricadas, com o objetivo de reduzir o tempo de construção em 30% e os custos em mais de 10%.

Inicialmente, a velocidade de construção será de um apartamento por semana, graças a um novo método de construção: o núcleo central da torre se levantará a pé de obra, e os andares serão feitos seção por seção na fábrica e se engancharão ao eixo central quando forem montados, já mobiliados e com todas as instalações.

Outra característica destes edifícios será a facilidade de manutenção, considerando que todas as partes poderão ser inspecionadas e reparadas independentemente, de modo que os edifícios poderão durar mais que outras construções contemporâneas.

Com este projeto, o arquiteto pretende introduzir uma nova filosofia que desafie a construção tradicional e abra uma era para a engenharia, que ele qualifica como "arquitetura dinâmica", porque "introduz uma quarta dimensão no desenho: o tempo". EFE atc/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG