O Dalai Lama, líder espiritual dos tibetanos, perdeu a esperança de negociar com a China uma autonomia para o Tibete e pretende mudar de política a este respeito, anunciou seu assessor.

Todas as opções serão examinadas durante uma grande reunião de dirigentes tibetanos no exílio prevista para novembro em Dharamsala, norte da Índia, onde o líder budista se refugiou em 1959, segundo Tenzin Taklha.

"Perdeu a esperança de encontrar uma solução com o atual governo chinês, que simplesmente não quer solucionar o tema do Tibete", declarou Taklha.

"O movimento tibetano continuará sendo não violento. É um aspecto não negociável sobre o qual todos estão de acordo", afirmou.

str/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.