Dalai Lama pede apoio europeu ao Tibete, por intermédio de Havel

Praga, 2 dez (EFE).- O Dalai Lama, líder espiritual e político do Tibete, pediu hoje a seu grande amigo Vaclav Havel, ex-chefe de Estado tcheco, apoio da União Européia (UE) à independência tibetana, quando Praga se prepara para assumir a Presidência rotativa comunitária em 1º de janeiro de 2009.

EFE |

"Ambos trataram sobre o apoio de Havel e da República Tcheca, e sobre o possível apoio da UE e seu papel na questão do Tibete, durante a Presidência rotativa tcheca", declarou hoje à Agência Efe Jakub Klepal, representante da Fundação Fórum 2000, que convidou o Dalai Lama a visitar Praga.

"Havel lhe expressou muito apoio, já que é um grande amigo há muitos anos", acrescentou Klepal.

Durante sua visita à capital tcheca, de sábado a hoje, o Dalai Lama fez uma palestra intitulada "Compaixão: a base da felicidade".

O líder tibetano se encontrou ontem, na Câmara baixa (deputados), com o Grupo de Amigos do Tibete.

Neste fórum, o Dalai Lama defendeu a postura pacífica de seus súditos da província meridional chinesa durante os últimos 60 anos, para manter sua cultura diante da agressão de Pequim.

"Acho a força na verdade e na justiça, e também as pessoas que apóiam os tibetanos, apesar de não terem nada em comum", disse.

Acrescentou, com um sorriso, que a Organização Tratado do Atlântico Norte (Otan) deveria aceitar a Rússia como membro e transferir sua sede central a Moscou, "para se aproximar mais ao Leste e, da mesma maneira, Bruxelas poderia estar mais próxima a nós".

O Prêmio Nobel da Paz de 1989 deixou hoje Praga em direção a Bruxelas, onde visitará o Parlamento Europeu.

Ele viajará em seguida à Polônia, onde participará do 25º aniversário do Nobel da Paz ao presidente polonês Lech Walesa. EFE gm-jk/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG