Por Bappa Majumdar NOVA DÉLHI (Reuters) - O Dalai Lama, líder espiritual do Tibet atualmente exilado, deu entrada em um hospital da Índia sentindo um desconforto abdominal, mas não havia motivo para preocupação, afirmaram seus médicos na quinta-feira.

O líder espiritual de 73 anos, que cancelou suas viagens ao exterior após reclamar de fadiga, mostrou-se 'animado' quando chegou ao hospital de Mumbai, disse um porta-voz daquele estabelecimento.

'Ele deu entrada no hospital devido a um desconforto abdominal. Começaremos a fazer as análises amanhã de manhã e não há motivo para preocupação', disse em Mumbai Mohan Rajan, o porta-voz.

'Neste momento, não podemos dizer aos senhores durante quantos dias ele ficará hospitalizado.'

O Dalai Lama, vencedor do Prêmio Nobel da Paz, regressou a Dharamsala (cidade do norte da Índia onde fica a sede o governo do Tibet no exílio) no domingo, após uma visita à França.

A viagem serviu principalmente para que o líder espiritual proferisse conferências sobre o budismo. No entanto, durante a estadia francesa, o Dalai Lama também criticou as políticas adotadas pela China em relação ao Tibet.

Em entrevista ao jornal Le Monde, ele disse que os soldados chineses haviam disparado contra manifestantes no leste do Tibet, no dia 18 de agosto, e que 400 pessoas haviam sido mortas apenas na área de Lhasa (capital tibetana) desde que, em março, iniciaram-se os protestos contra o domínio chinês sobre a região.

Na quarta-feira, um assessor afirmou à Reuters que o líder espiritual viajaria para Mumbai, centro financeiro da Índia, a fim de se submeter a 'exames de rotina' em um hospital.

'Tudo o que posso dizer é que o Dalai Lama está bem', afirmou desde Mumbai, na quinta-feira, Chhime Chhoekyapa, assessor do Dalai Lama.

Ao desembarcar na cidade, o líder espiritual foi acompanhado até seu quarto, onde os médicos realizaram um exame preliminar, disse o assessor.

'Ele está descansando e não recebeu nenhuma visita desde que chegou ao hospital', afirmou à Reuters, por telefone, Chhoekyapa, que acompanhava o Dalai Lama.

O líder espiritual passa vários meses do ano longe de Dharamsala, dando aulas sobre o budismo ou falando sobre o sofrimento do povo tibetano em meio ao domínio chinês.

Nos últimos anos, os médicos intensificaram o número de exames de rotina a fim de garantir a saúde do Dalai Lama.

'Sua santidade encontra-se bem. Ele deita-se cedo à noite e levanta-se cedo pela manhã', afirmou Chhoekyapa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.