Dalai lama diz que fracasso de luta pelo Tibet estimularia violência

Paris, 16 ago (EFE).- O dalai lama disse hoje em um encontro com Ségolène Royal, ex-candidata socialista à Presidência da França, que se sua luta pacífica pela liberdade do Tibete fracassar, os partidários da violência receberão um grande estímulo.

EFE |

O líder espiritual do budismo tibetano recebeu Royal hoje, na Abadia de Villeneuve, nos arredores de Nantes (oeste).

Este é um dos poucos encontros políticos do dalai lama em sua viagem pastoral à França, na qual não será recebido pelo presidente do país, Nicolas Sarkozy.

Segundo pessoas que acompanharam o encontro de hoje, de caráter privado, o prêmio Nobel da Paz de 1989 agradeceu à "solidariedade" manifestada por Royal, que comunicou ao dalai lama sua intenção de viajar ao Tibete para ajuadar a melhorar a situação na região.

"A causa do Tibete é uma causa pela verdade e pela justiça", afirmou o líder religioso, que acrescentou: "Se o enfoque não violento fracassar, seria um estímulo indireto para aqueles que defendem a violência".

Royal anunciou sua intenção de, na semana que vem, pedir às autoridades chinesas um visto para viajar ao Tibete e comprovar, ela mesma, a situação no local.

Segundo ela, "o Tibete não diz respeito apenas aos tibetanos, mas a toda a humanidade": "Cada vez que um homem sofre, que as liberdades recuam, somos todos afetados". EFE jms/wr/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG