Dalai Lama desmente ter dito que a China matou 140 pessoas no Tibete

A assessoria de imprensa do Dalai Lama desmentiu nesta quinta-feira, em um comunicado, que o chefe espiritual tibetano tenha afirmado, em uma entrevista ao jornal francês Le Monde, um balanço de 140 pessoas mortas por disparos do exército chinês em 18 de agosto no leste do Tibete.

AFP |

"Desejamos esclarecer o fato de que Sua Santidade não mencionou nenhum número de vítimas", indicou, em um comunicado, a assessoria de Dalai Lama, atualmente de visita à França.

"Em resposta a uma pergunta do jornalista sobre as notícias recentes sobre as quais as tropas chineses teriam disparado contra uma massa de manifestantes, Sua Santidade respondeu claramente que não tínhamos informações específicas sobre o número de vítimas. Na entrevista, Sua Santidade disse: 'Apenas recebemos esta notícia, mas não podemos confirmá-la. Dessa maneira, não sei".

"Desde a recepção destas notícias, todos os esforços feitos para contatar a população local afetada por esses eventos em Kardze (Kham, leste do Tibete, na província de Sichuan) fracassaram", conclui o comunicado do líder tibetano.

str/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG