Dados e informações gerais sobre Israel

Jerusalém, 7 mai (EFE).- Dados e informações gerais sobre Israel.

EFE |

NOME: Estado de Israel.

LOCALIZAÇÃO: Oriente Médio. Faz fronteira com Líbano, Síria, Jordânia e Egito, além dos territórios palestinos de Gaza e Cisjordânia.

SUPERFÍCIE: 27.800 quilômetros quadrados; territórios ocupados: Cisjordânia (5.879 km2), a chamada "faixa de segurança" que Israel controla no sul do Líbano (1.100 km2) e o Golã (1.176 km2), que o Estado judeu ocupou em 1967 durante a Guerra dos Seis Dias e que anexou em 1981. Entre agosto e setembro de 2005, Israel evacuou todos os seus assentamentos de Gaza (378 Km2) e vários da Cisjordânia.

POPULAÇÃO: 6,997 milhões de habitantes (2005), dos quais 79,8% são judeus (mais da metade nascidos no país, os demais provenientes de cerca de 70 países de todo o mundo), 16,8% são árabes (em sua maioria muçulmanos) e os restantes 1,7% incluem drusos, circassianos e outras não classificadas segundo a religião.

CAPITAL: Israel considera que sua capital é Jerusalém, com 567.100 moradores, mas a cidade não é reconhecida como capital pelas Nações Unidas.

LÍNGUA: O idioma oficial é o hebraico (dois terços da população).

Além disso, 15% dos moradores do país falam árabe.

FORMA DE GOVERNO: República parlamentarista. A Knesset (Assembléia) é escolhida por sufrágio universal a cada quatro anos.

O presidente, chefe constitucional do Estado, é nomeado pela Knesset a cada cinco anos. À frente do poder Executivo está um primeiro-ministro cuja eleição, desde 1996, é realizada ao mesmo tempo em que se renova o Parlamento, mas em uma votação separada.

Chefe de Estado: Shimon Peres, desde 13 de junho de 2007.

Chefe de Governo: Ehud Olmert, desde 5 de maio de 2006.

PARTIDOS POLÍTICOS: Os principais são o Partido Trabalhista (social-democrata sionista) e o Likud (conservador nacionalista sionista).

Após a crise política surgida pela retirada israelense de Gaza, em 21 de novembro de 2005, Ariel Sharon abandonou o Likud e criou um novo partido, o Kadima.

Forças Armadas: Composta por 161.500 efetivos. Em caso de mobilização, pode chegar a um milhão. O serviço militar é obrigatório para judeus e drusos (de ambos os sexos e com exceção aos estudantes rabínicos) e voluntário para cristãos, muçulmanos e circassianos. Israel investe cerca de 20% de seu orçamento nacional em despesas de Defesa.

ECONOMIA: A moeda israelense é o shekel. O PIB é de US$ 132 bilhões (2007), com um crescimento de 5,1% em 2007, e o PIB por habitante é de US$ 28.800 (estimado em 2007). A dívida externa superou os US$ 87,43 bilhões (dados de 2007). A inflação foi de 0,4% em 2007 e o desemprego ficou em 7,6% no mesmo ano. As importações foram de US$ 52,8 bilhões em 2007, e as exportações de US$ 48,6 bilhões no mesmo período.

HISTÓRIA: Desde a proclamação do Estado de Israel, em 14 de maio de 1948, de acordo com a resolução 181 das Nações Unidas, o país lutou em quatro guerras contra seus vizinhos árabes: em 1948, em 1956, em 1967 e em 1973, e invadiu em duas ocasiões o Líbano: em 1978 e em 1982.

Israel assinou a paz com o Egito em 1979 (Acordos de Camp David) e Jordânia em 1994. Além disso, deixou o sul do Líbano no ano 2000.

Em dezembro de 1987, começou nos territórios ocupados a revolta popular palestina, conhecida como "intifada", que terminou em 1993, deixando 1.500 mortos palestinos e 400 israelenses.

No dia 28 de setembro de 2000 começou a "segunda intifada", quando o líder da direita israelense, Ariel Sharon, visitou a Esplanada das Mesquitas em Jerusalém Oriental, o que provocou a morte de 3.774 palestinos e de 1.074 israelenses durante os últimos cinco anos. EFE dc-jr/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG