Dados e informações gerais sobre a Sérvia

Belgrado, 10 mai (EFE).- Dados e informações gerais sobre a Sérvia, que realiza eleições parlamentares neste domingo.

EFE |

NOME OFICIAL: República da Sérvia.

LOCALIZAÇÃO: Sudeste da Europa, na Península dos Bálcãs. Faz fronteira com Hungria (norte); Romênia (nordeste); Bulgária (sudeste); Macedônia (sul); Albânia e Montenegro (sudoeste); Bósnia-Herzegóvina (centro-oeste); Croácia (noroeste).

SUPERFÍCIE: 88.361 quilômetros quadrados, incluindo o Kosovo, que em fevereiro autoproclamou sua independência - não reconhecida, no entanto, pelo Governo da Sérvia.

A Sérvia é um Estado independente desde junho de 2006, quando Montenegro deixou a união na qual as duas repúblicas tinham permanecido após a decomposição da antiga Iugoslávia.

COMPOSIÇÃO: No norte, há a província autônoma de Voivodina, de 21.506 quilômetros quadrados, onde se concentra uma minoria húngara; a Sérvia considera o Kosovo como sua província do sul, de 10.887 quilômetros quadrados, povoada por uma maioria de albaneses que proclamou a independência de forma unilateral. A ONU administra o Kosovo desde 1999.

POPULAÇÃO: 7,5 milhões de habitantes (sem o Kosovo), dos quais 82,8% são sérvios, 3,9% húngaros, 1,8% muçulmanos eslavos e 1,4% ciganos. Os outros grupos étnicos totalizam 10% da população.

Acredita-se que o Kosovo tenha cerca de dois milhões de habitantes, dos quais 90% pertencem à etnia albanesa.

CAPITAL: Belgrado, com cerca de 1,5 milhão de habitantes.

IDIOMAS: Sérvio, além de idiomas das minorias.

RELIGIÃO: Cristãos ortodoxos (85%), católicos (5,5%) e muçulmanos (3,2%).

PRINCIPAIS INSTITUIÇÕES: O presidente, que também é comandante do Exército, é eleito por sufrágio universal por um mandato de cinco anos. Desde fevereiro de 2008, o chefe de Estado é o reformista Boris Tadic, que está no segundo mandato.

O Parlamento é unicameral, com 250 deputados e um mandato de quatro anos. O Governo é eleito pelo Parlamento. O centro-direitista Vojislav Kostunica lidera o Executivo desde maio de 2007. Kostunica liderou também o Governo anterior, que começou em 2004.

PRINCIPAIS PARTIDOS: Partido Radical Sérvio (SRS, ultranacionalista), Partido Democrático (DS, de Tadic), Partido Democrático da Sérvia (DSS, de Kostunica).

ECONOMIA: A economia sérvia ficou devastada após uma década de guerras e sanções internacionais durante o regime do líder autoritário Slobodan Milosevic. Após sua queda, em outubro de 2000, foram introduzidas reformas e a economia se recuperou.

A principal atividade econômica da Sérvia é a agricultura. Possui jazidas de carvão, linhito, zinco, chumbo, cobre e ouro.

PIB: Segundo estimativas, o Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 7,5% em 2007, e a renda per capita é de US$ 5.600.

INFLAÇÃO: 10%, em 2007.

DESEMPREGO: A taxa de desemprego beira os 20%.

HISTÓRIA: Os sérvios se estabeleceram nos Bálcãs no século VI. Na primeira metade do século XIV, seu Estado era o mais poderoso da península e Dusan foi coroado imperador em 1346.

Após sua morte, em 1355, começa o desmoronamento do Estado, que é derrotado pelo Império turco em 1389 na batalha do Kosovo, iniciando cinco séculos de domínio otomano.

Revoltas populares no início do século XIX levaram à libertação de grande parte de seu território, e a Sérvia obteve em 1830 a autonomia, enquanto a plena independência foi reconhecida em 1878, no Congresso de Berlim.

Nas guerras balcânicas (1912-1913), a Sérvia recuperou todo o seu território dominado pelo Império Otomano, incluindo o Kosovo, sua "terra prometida" desde 1389, mas já povoada por uma maioria de albaneses.

Em 1918, foi criado o Reino dos Sérvios, Croatas e Eslovenos, Estado que depois passou a se chamar Iugoslávia, e no qual em 1945 foi estabelecido o regime comunista com Josip Broz Tito à frente.

Eslovênia, Croácia, Macedônia e Bósnia saíram dessa federação entre 1991 e 1992, enquanto Sérvia e Montenegro permaneceram unidas em um Estado que finalmente se decompôs em 2006. EFE Sn/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG