Os governos livres do mundo não negociam com os narcotraficantes nem com nenhum tipo de criminoso e a legislação da droga não é a resposta para combater o consumo, afirmou nesta terça-feira no México Gil Kerlikowske, czar antidrogas dos Estados Unidos.

"Os governos livres do mundo não negociam com os narcotraficantes", disse Kerlikowske em uma entrevista à imprensa ao lado do ministro de saúde mexicano, José Angel Córdova, no segundo dia de uma visita oficial ao México.

"A legalização não é de nenhuma maneira resposta ao problema do consumo", acrescentou o funcionário americano.

Kerlokowski reconheceu que atualmente há em seu país 22 milhões de pessoas maiores de 12 anos que precisam de tratamento contra o uso de drogas, mas alertou que, embora o México tenha uma população de adictos muito menor, seus números estão aumentando rapidamente".

Os Estados Unidos são o maior mercado consumidor de cocaína do mundo.

Para Córdova, o aumento do consumo de drogas no México não significa que o governo do presidente Felipe Calderón esteja perdendo a batalha, como afirmam alguns.

"Ainda é cedo para dizer que o programa fracassou, com apenas dois anos", declarou o ministro mexicano aos jornalistas.

O México criou 329 centros de atendimento a viciados, financiados em parte por bens confiscados de narcotraficantes.

O governo mexicano iniciou uma guerra contra cartéis de drogas com 36.000 militares em diferentes zonas do país. Mesmo assim, 7.700 pessoas foram assassinadas em 2008 e até agora em 2009.

lp/lm/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.