Curdistão iraquiano pedirá para ONU intervir em ataques iranianos

Suleimaniya (IRAQUE), 19 mai (EFE) - O Governo autônomo do Curdistão iraquiano informou hoje que pedirá à ONU que intervenha para interromper os bombardeios iranianos contra supostas posições de rebeldes curdo-iranianos no norte do Iraque. Vamos nos dirigir aos representantes da ONU no Iraque e ao secretário da ONU (Ban Ki-moon) para que detenham os bombardeios de acordo com a resolução 1.778 da ONU, que a ONU tenha um maior papel no Iraque e que ajude a proteger suas fronteiras, disse à Agência Efe o porta-voz do Governo autônomo curdo, Jamal Abdullah.

EFE |

Ele ressaltou ainda que este tipo de ações militares são uma violação à soberania do Iraque.

Abdullah explicou que os atos causam perdas, complicam a situação e ameaçam a segurança "sem conseguir nenhum objetivo. Ainda não ouvimos o Irã dizer que algum membro do Pijak (ramo iraniano do Partido dos Trabalhadores do Curdistão - PKK) foi morto ou ferido".

Estas declarações coincidem com o bombardeio iraniano de 12 posições curdas fronteiriças, o oitavo em maio.

Os ataques da artilharia iraniana se centram nas cercanias das montanhas Qandil, no norte do Iraque, onde supostamente estão localizadas as guerrilhas do Pijak, que lutam por "um Curdistão federal no Irã".

O bombardeio iraniano desta região começou em agosto do ano passado e desde então lançou ataques intermitentes contra estas áreas fronteiriças. EFE fh/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG