Curdistão iraquiano elege seu presidente e seu Parlamento

A província autônoma do Curdistão elege neste sábado seu presidente e seu Parlamento, que terão como principal desafio resolver um conflito territorial com Bagdá por esta região rica em petróleo.

AFP |

Cerca de 2,5 milhões de eleitores nas três províncias de Erbil, Dohuk e Suleimaniyeh devem eleger, pela primeira vez no sufrágio universal, o presidente do Curdistão, e os 111 deputados do Parlamento regional.

A União Patriótica do Curdistão (UPK) e o Partido Democrático do Curdistão (PDK), os dois movimentos que dominam há décadas o cenário político na região, são apontados como os vencedores das duas eleições, mas enfrentam listas dissidentes dispostas a acabar com sua hegemonia. Esta situação, inédita desde a primeira eleição curda, em 1992, esquentou a campanha eleitoral.

Longas filas de espera se formaram pouco antes da abertura dos colégios eleitorais, com as forças de segurança curdas, os peshmergas, revistando todos os presentes por medida de segurança.

Massoud Barzani, atual presidente curdo e líder do PDK, concorre com outros quatro candidatos à eleição presidencial. Vinte e quatro listas, entre elas a lista comum do PDK e da UPK, do presidente iraquiano Jalal Talabani, se enfrentam na eleição legislativa.

"Pela primeira vez da minha vida, tenho a sensação de participar de uma eleição com várias escolhas e uma verdadeira concorrência", comentou à AFP Ziz Hassan, um engenheiro de 44 anos, diante de um centro de votação em Suleimaniyeh.

"Nas votações anteriores, as duas partes não davam opções aos eleitores", acrescentou, referindo-se ao PDK e à UPK.

"Vou votar na lista Goran, porque o sistema política no Curdistão precisa de mudança e renovação, assim como de uma oposição parlamentar real e forte", afirmou Hassan.

Liderada pelo ex-número dois da UPK, Nucherwan Mustapha, a lista Goran, uma palavra que significa "mudança" em curdo, aparece como a principal concorrente do PDK e da UPK, e escolheu a luta contra a corrupção como sua principal prioridade.

"Espero que o dia de hoje marcará o início de uma verdadeira competição política", declarou Mustapha aos jornalistas depois de votar em um centro de Suleimaniyeh.

A vitória da lista Kurdistania, do PDK e da UPK, "é clara como a luz do sol no céu azul", empolgou-se a eleitora Chilan Othman, 36 anos, em outro colégio eleitoral de Suleimaniyeh.

"Esta eleição é uma vitória para o povo curdo e para o povo iraquiano", afirmou Barzani durante uma entrevista coletiva em Salaheddin, ao norte de Erbil.

"Esperamos que estas eleições constituam um primeiro passo na resolução das divergências com Bagdá", acrescentou.

Ele ressaltou, porém, que se for eleito trabalhará "para recuperar os territórios disputados".

Bagdá e Erbil brigam pelo controle de 16 setores nas províncias iraquianas do Curdistão, entre os quais a cidade de Kirkuk, rica em petróleo e onde moram curdos, árabes, turcomanos e cristãos.

Vários incidentes foram registrados nos últimos meses entre os peshmergas e os soldados iraquianos.

Os resultados das eleições deste sábado não serão conhecidos antes de vários dias. As cédulas de voto serão reunidas em Erbil e enviadas em seguida a Bagdá, onde serão apuradas pela Comissão Eleitoral.

str/yw

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG