Curdistão iraquiano aceitará bases militares americanas em seu território

O presidente do Curdistão iraquiano, Masud Barzani, se declarou a favor da instalação de bases militares americanas nesta região autônoma do norte do Iraque se as negociações de acordo de segurança entre Bagdá e Washington fracassarem, informou neste domingo seu partido.

AFP |

"Atualmente os esforços estão centrados na assinatura do acordo, mas se isto não acontecer, e os Estados Unidos nos pedirem para manter tropas no Curdistão, acredito que o Parlamento, o povo e o governo do Curdistão acolherão o pedido", disse, em uma conferência em Washington.

Esta declaração foi dada na sexta-feira no Centro de Estudos Internacionais e Estratégicos e foi divulgada pelo Jabat, o órgão do Partido Democrático do Curdistão, de Masud Barzani.

Há meses os americanos e iraquianos se esforçam para finalizar o texto do acordo chamado SOFA (Status of Forces Agreement) que dá uma base jurídica à presença militar americana no país, após a expiração do mandato da ONU em 31 de dezembro.

O primeiro-ministro iraquiano, Nuri al Maliki, apresentou em Washington um texto emendado por seus ministros, mas a Casa Branca vem se mostrando reticente a renegociar o acordo.

str-aa/lm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG