Cúpula no Chile discute resposta verde e social à crise

Chefes de Estado e representantes de governos alinhados com políticas de centro-esquerda se reúnem nesta sexta-feira e sábado na cidade de Viña del Mar, no Chile, para o Encontro de Líderes Progressistas. Entre os nomes que participam da reunião estão o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a chilena Michelle Bachelet, o primeiro-ministro britânico Gordon Brown e o vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden.

BBC Brasil |


Na pauta do encontro, segundo assessores do governo chileno, está a reivindicação por mais atenção às mudanças climáticas e questões sociais em meio à crise econômica internacional.

De acordo com estes assessores, a sugestão de inserir estes temas na pauta da reunião - que acontece apenas uma semana antes do encontro de chefes de Estado do G20 - teria partido dos governos de Chile, Brasil, Argentina e Uruguai.

"Esperamos que esta reunião ajude a colocar o tema social e as mudanças climáticas no centro do debate sobre a crise internacional", disse à BBC Brasil Francisco José Diaz, assessor da presidente chilena Michelle Bachelet.

Fontes ligadas ao Palácio de La Moneda afirmaram ainda que a declaração final do encontro - cujo lema é "Uma resposta progressista à crise global" - deverá enfatizar também o repúdio ao protecionismo e a defesa de reformas e da ampliação da regulamentação sobre o mercado financeiro.

"(A declaração final mostrará que) não se trata de qualquer recuperação (econômica). Tem que ser verde, com empregos e políticas sociais", disse uma fonte do governo chileno.

A expectativa é que o encontro represente uma "declaração política" do grupo poucos dias antes da reunião do G20, no dia 2 de abril, em Londres.

Essa é a primeira vez que o grupo se reúne em um país da América Latina desde que a chamada "Rede de Líderes Progressistas" foi criada, em 1999.

À época, afirma Ricardo Israel, professor de Ciências Políticas da Universidade Autônoma do Chile, a rede servia principalmente para debater a chamada "Terceira Via" (um caminho entre o socialismo e o capitalismo) liderada pelo então premiê britânico Tony Blair.

Os líderes chegam nesta sexta-feira a Viña del Mar, onde participam de um jantar com a presidente chilena Michelle Bachelet. Entre os outros participantes estão a presidente da Argentina, Cristina Kirchner, e o presidente uruguaio Tabaré Vázquez.

No sábado, após uma hora de reuniões bilaterais, eles formarão uma grande mesa de discussões sobre os assuntos pautados.

Analistas entrevistados pela BBC Brasil destacam a importância da reunião ser realizada em um país latino-americano apenas uma semana antes do encontro do G20.

"Com essa perspectiva, os líderes progressistas devem rejeitar o protecionismo, defender a ampliação do crédito aos países em desenvolvimento e a geração de planos de ajuda para a infraestrutura", afirmou o professor de Ciências Políticas da Universidade do Chile, Guillermo Holzman.

Segundo ele, as resoluções do encontro devem pedir ainda uma maior coordenação macroeconômica entre países desenvolvidos e em desenvolvimento e colocar as mudanças climáticas e as questões energéticas na agenda de discussões.


Leia mais sobre Encontro de Líderes Progressistas

    Leia tudo sobre: crise

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG