Cúpula militar do Equador renuncia por acusações de Correa

QUITO (Reuters) - A cúpula militar do Equador apresentou na quarta-feira sua renúncia, em oposição às acusações do presidente Rafael Correa, que disse que os órgãos de segurança do Exército atuam sob a direção dos Estados Unidos. Apresentamos ao presidente a disponibilidade...pelo questionamento feito em relação à atitude das Forças Armadas e com isso não concordo, disse o chefe do Exército, general Guillermo Vásconez.

Reuters |

O pedido de disponibilidade equivale a uma renúncia.

A cúpula militar tomou a decisão por rejeitar as acusações de Correa de que os órgãos de segurança atuam sob o comando da Agência Central de Inteligência dos Estados Unidos (CIA), no momento em que o Equador mantém um conflito diplomático com a Colômbia, país apoiado pelos EUA.

Correa já havia criticado os militares e a polícia por não fornecerem informações adequadas em tempo, durante o conflito diplomático com a Colômbia.

Os militares desempenham um papel importante no cenário político frequentemente instável do Equador. As Forças Armadas são uma das instituições em que os equatorianos mais confiam.

Correa já demitiu o ministro de Defesa, Wellington Sandoval, e colocou em seu lugar Javier Ponce, um aliado pessoal próximo, informou o Ministério da Defesa em comunicado na quarta-feira.

(Reportagem de Alexandra Valencia)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG