Cúpula Ibero-Americana de San Salvador será das mais movimentadas

San Salvador, 29 out (EFE).- Dezenove dos chefes de Estado e do Governo de 22 países ibero-americanos participarão da 18ª Cúpula Ibero-Americana, de 29 a 31 de outubro, em San Salvador, o que a tornará uma das mais movimentadas.

EFE |

Só descartaram sua participação por diferentes motivos os presidentes venezuelano, Hugo Chávez; uruguaio, Tabaré Vázquez; cubano, Raúl Castro, e português, Aníbal Cavaco Silva -que será representado pelo primeiro-ministro José Sócrates, cujo país sediará a próxima reunião anual.

Dos 19 governantes, só faltam confirmar o horário de chegada o boliviano Evo Morales, esperado hoje pela organização, e o nicaragüense Daniel Ortega, que deve desembarcar amanhã na capital salvadorenha.

A cúpula também ressalta a numerosa participação de representantes de organismos internacionais, um total de 16, e de países alheios à comunidade ibero-americana como a Itália, na qualidade de convidada especial.

Chávez, assíduo a este tipo de reuniões desde que chegou ao poder em 1999, alegou para não viajar a El Salvador por não ter garantida sua segurança, alegando temor de sofrer um atentado.

O uruguaio Vázquez afirmou que não vai por preferir ficar em seu país para enfrentar as conseqüências da atual instabilidade econômica internacional.

O cubano Raúl Castro, que sucedeu no poder de forma definitiva em fevereiro seu irmão Fidel -após ele renunciar por doença-, há anos não vai a reuniões internacionais, e Cuba, desde 2001 já é representada nas cúpulas ibero-americanas por seus vice-presidentes.

Este ano, no entanto, Cuba rebaixou o nível político de sua representação na cúpula a seu embaixador no Brasil, Pedro Núñez Mosquera, quem de San Salvador viajará amanhã para Havana com o presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, que por sua vez será recebido na capital cubana por Raúl Castro.

El Salvador rompeu as relações diplomáticas com Cuba em 1959, após a chegada ao poder de Fidel Castro, e desde então mantêm apenas relações consulares.

O português Cavaco Silva alegou motivos de agenda para não viajar para San Salvador.

Portugal organizará em 2009 a próxima cúpula ibero-americana, que estará dedicada à inovação e ao conhecimento.

Os chefes de Estado e de Governo analisarão nesta reunião, cujo tema principal é "Juventude e Desenvolvimento", a atual crise financeira internacional, que já gerou graves conseqüências no mundo todo.

Essa pode ser uma das razões da ampla participação de delegados de organismos como Banco Mundial, Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), ONU, Organização dos Estados Americanos (OEA), Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO), União Européia e Parlamento Europeu.

Outro motivo pode ser -caso prospere uma proposta- a futura incorporação de outros países, com a categoria de "observador associado", e o convite de organismos internacionais com a categoria de "observador consultivo". EFE mmg-ed/vai

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG