Cúpula do Mercosul terá esquema de segurança com pelo menos 2 mil policias

Assunção, 22 jul (EFE).- Mais de 2 mil policiais serão responsáveis pela segurança na reunião ordinária do Conselho do Mercado Comum (CMC) e na cúpula de presidentes do Mercosul e Estados associados, que será realizada na quinta-feira e sexta-feira, no Paraguai, informaram hoje fontes oficiais.

EFE |

O porta-voz da Polícia Nacional, o comissário Oscar Larroza, disse à agência Efe que as operações de segurança começaram hoje com um estrito controle nos arredores de vários hotéis em Assunção, onde ficarão hospedados os seis governantes que devem participar da cúpula.

Além disso, outros dez edifícios onde as comitivas dos países serão alojadas serão vigiados.

O esquema de segurança, que também inclui cerca de 250 escoltas presidenciais das Forças Armadas, se centrará na sede do Museu e Centro de Convenções da Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol), em Luque, que abrigará as reuniões.

Larroza desmentiu as versões de imprensa que afirmaram hoje sobre a existência de possíveis planos terroristas, que poderiam ser efetuados no país durante as reuniões.

"A Polícia Nacional, através de seu serviço de Inteligência, não tem nenhuma informação sobre o possível atentado a algum líder ou membro de sua comitiva. Também não se sabe sobre presença de algum grupo terrorista", afirmou o comissário. EFE rg/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG