Cúpula das Farc é condenada a 40 anos de prisão

BOGOTÁ (Reuters) - Um tribunal condenou na terça-feira a 40 anos de prisão sete integrantes da cúpula da maior guerrilha esquerdista da Colômbia pelo sequestro e posterior assassinato de um ex-governador, um ex-ministro e oito militares, informaram fontes judiciais. Trata-se da mais recente sentença contra os líderes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), mas na prática é uma decisão simbólica, já que todos permanecem na clandestinidade e contra eles pesam dezenas de condenações e processos criminais.

Reuters |

Entre os comandantes das Farc condenados está Manuel Marulanda, conhecido como 'Tirofijo', e Jorge Briceño, popular 'el Mono Jojoy'.

A sentença é pelo sequestro e posterior assassinato do ex-governador do departamento de Antioquia, Guillermo Gaviria, do ex-ministro de Defesa, Gilberto Echeverri, e oito representantes das Forças Armadas.

Os reféns faziam parte de um grupo que as Farc buscam trocar com o governo do presidente Alvaro Uribe por 500 rebeldes presos.

Gaviria, Echeverri e os militares foram sequestrados em abril de 20O2 e assassinados em maio de 2003 numa fracassada operação de resgate do Exército numa zona de selva do departamento de Antioquia, no noroeste da Colômbia.

(Reportagem de Luis Jaime Acosta)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG