Cúpula da CEI reúne em Moscou líderes separatistas georgianos

Moscou, 18 jul (EFE).- Os líderes das regiões separatistas georgianas da Abkházia e da Ossétia do Sul participam hoje pela primeira vez de uma cúpula informal da pós-soviética Comunidade dos Estados Independentes (CEI).

EFE |

O presidente russo, Dmitri Medvedev, se reunirá com os líderes separatistas da Ossétia do Sul, Eduard Kokoiti, e da Abkházia, Serguei Bagapsh, no Hipódromo de Moscou, onde acontece hoje uma corrida de cavalos puro-sangue, segundo as agências russas.

A imprensa russa explica que, ao convidar os separatistas, o Kremlin busca respaldo à sua decisão de reconhecer a independência dessas regiões de Tbilisi após a guerra russo-georgiana de agosto de 2008, passo que não foi apoiado por nenhum outro país.

Em uma visita muito criticada pelos Estados Unidos e pela União Europeia (UE), Medvedev viajou na semana passada e pela primeira vez à Ossétia do Sul, onde disse que deseja impulsionar a cooperação militar com esse "novo país".

No entanto, a presença dos líderes de duas repúblicas autoproclamadas não foi bem encarada por alguns líderes da CEI, que recusaram o convite para viajar à capital russa.

Cinco dos membros do grupo não participarão da cúpula: o ucraniano, Viktor Yushchenko; o bielorrusso, Aleksandr Lukashenko; o uzbeque, Islam Karimov; o quirguiz, Kurmanbek Bakiyev; e o turcomeno, Kurbanguly Berdymukhamedov.

A ausência de Yushchenko se explica pela piora das relações bilaterais, em particular devido aos contínuos desencontros pelo pagamento do gás; já Bakiyev tem a desculpa das eleições presidenciais de 23 de julho.

Por sua vez, Lukashenko, em outros tempos fiel aliado de Moscou, mantém há alguns meses uma política de crítica e elogios ao Kremlin devido à recusa deste de conceder um novo empréstimo e por causa da progressiva aproximação de Minsk à UE.

Quanto aos líderes turcomeno e uzbeque, embora não seja a primeira vez que faltam a esta cúpula, também mantêm com Moscou divergências. O Turcomenistão se opõe ao preço do gás praticado pela Rússia, enquanto o Uzbequistão rejeita se integrar às organizações regionais.

Além disso, segundo informou o assessor do Kremlin, Serguei Prikhodko, "como é tradição, foram convidados todos os presidentes da CEI, menos o da Geórgia".

A Geórgia anunciou que se retirava da CEI após a guerra com a Rússia pelo controle da Ossétia do Sul, mas segue vinculada à organização por diversos acordos econômicos.

Comparecerão à cúpula somente os presidentes cazaque, Nursultan Nazarbayev; tadjique, Emomali Rakhmon; moldávio, Vladimir Voronin; armênio, Serge Sargsian; e azerbaijano, Ilham Aliyev. EFE io/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG