Os países árabes concordaram em enviar ajuda aos palestinos, mas não conseguiram emitir um comunicado conjunto sobre a ofensiva israelense contra este território ao concluir nesta terça-feira sua cúpula de dois dias no Kuwait.

"Nós nos reunimos a portas fechadas para discutir um comunicado final sobre Gaza, mas não conseguimos chegar a um resultado por causa da falta de tempo e de certas posições", declarou o chanceler iraquiano Hoshyar Zebari.

"Não chegamos a nenhum resultado por falta de tempo e por certas posições", prosseguiu, sem dar detalhes. "Dadas as circunstâncias, se esperava que todos fizessem concessões a favor de uma reconciliação árabe", declarou Zebari, aludindo às profundas divisões entre os países árabes durante a recente ofensiva israelense contra o movimento islamita palestino Hamas.

Ao mesmo tempo, os dirigentes dos países árabes aprovaram uma declaração que pede a adoação de medidas práticas para acelerar a integração econômica e enfrentar as consequências da crise econômica mundial, segundo uma cópia do texto obtida pela AFP.

A "Declaração do Kuwait" defende a "adoção de políticas monetárias e fiscais para ajudar os países árabes a enfrentar as consequências da crise financeira mundial".

O ministro das Relações Exteriores do Kuwait, xeque Mohammed Sabah al-Sabah, afirmou na semana passada que os países árabes perderam 2,5 bilhões de dólares na crise financeira mundial.

Também decidiram criar um fundo árabe de desenvolvimento, com um capital de dois bilhões de dólares, que terá como função conceder empréstimos e uma ajuda a projetos árabes comuns.

Os dirigentes dos 22 membros da Liga Árabe igualmente se comprometeram a dar total apoio ao povo palestino, mas não conseguiram criar um fundo de reconstrução de Gaza, ao término de sua cúpula na Cidade do Kuwait.

"Os dirigentes árabes se comprometem em conceder toda forma de apoio a reconstrução de Gaza, e parabenizam as contribuições anunciadas até agora", declararam em seu comunicado final.

O comunicado, lido pelo secretário-geral da Liga Árabe, Amr Musa, não faz referência alguma aos mecanismos de reconstrução do território palestino devastado por 22 dias de ofensiva israelense, que deixou pelo menos 1.315 palestinos mortos e mais de 5.300 feridos, além de milhões em danos materiais.

A cúpula teve início na véspera com o anúncio da Arábia Saudita de uma doação de um bilhão de dólares para reconstruir Gaza.

Oficialmente, o encontro tinha apenas um caráter econômico, apesar de ter sido rebatizada para "Cúpula da Solidariedade para com o Povo de Gaza".

O Qatar também anunciou que contribuirá com cerca de 250 milhões de dólares para este fundo.

Participou no encontro a grande maioria dos dirigentes dos 22 países membros da Liga Árabe, divididos pelo conflito em Gaza entre partidários e adversários do movimento islamita Hamas, contra o qual foi dirigida a ofensiva israelense.

tm/CHZ/cn/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.