Cubanos fazem fila para comprar celulares

HAVANA - Muitos cubanos, em grande parte jovens, fizeram filas desde cedo em Havana para adquirir linhas de telefone celular, cujas vendas legais foram abertas hoje no país pela Empresa de Telecomunicações de Cuba (Etecsa), estatal com pequena porcentagem de capitais privados italianos.

Ansa |

Reuters
Reuters
Em Havana, cubanos fazem fila para comprar linhas de aparelho celular

"Para mim, é excelente. Sou chofer de um hotel da cidade e preciso de um celular, agora posso tê-lo legalmente e isso é bom", disse Abel Cabrera.

A Etecsa acredita que o mercado da telefonia celular contribuirá para o desenvolvimento da rede telefônica local. No entanto, o preço de uma linha é caro para a população: custa cerca de 2,4 mil pesos cubanos (100 pesos convertíveis), enquanto o salário médio em Cuba é de cerca de 400 pesos cubanos.

"É caro, mas é uma necessidade", opinou Cabrera. Alguns cubanos já possuíam celulares antes da liberação da venda, mas em nome de estrangeiros. A Etecsa informou que esses usuários deverão se apresentar até o dia 7 de junho nos escritórios da empresa para regularizar a sua condição, tornando-se titulares de suas linhas, sem custos adicionais e podendo manter seus números telefônicos.

De acordo com estimativas oficiais, cerca de 60% da população cubana recebe divisas extras, principalmente de parentes que vivem no exterior e de salários extras de seus empregadores.

O acesso à saúde e à educação é gratuito e o Estado cubano subsidia os preços de cestas básicas de alimentos e outros produtos de primeira necessidade. Entretanto, o poder aquisitivo dos salários é baixo, especialmente para comprar nos mercados do país, que operam segundo o princípio de oferta e demanda.

Desde que assumiu em 24 de fevereiro, o presidente cubano, Raúl Castro, suspendeu restrições consideradas "obsoletas" de venda de produtos, como de DVDs, computadores e celulares. Além disso, foram anunciadas medidas para o aumento da produção agrícola nacional através de subsídios aos agricultores.

As mudanças na ilha até agora:

Leia mais sobre: Cuba

    Leia tudo sobre: cuba

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG