Havana, 23 abr (EFE) - Os cubanos contrataram mais de 7.400 novas linhas de telefonia celular desde que, há nove dias, foi autorizado o livre acesso individual a esse serviço em Cuba, informaram hoje fontes da Empresa de Telecomunicaciones de Cuba S/A (ETECSA).

O vice-presidente de Serviços Móveis da empresa, Máximo Lafuente, disse à imprensa local que a companhia espera a abertura de mais de 1,4 milhão de linhas nos próximos cinco anos.

Desde 14 de abril, os cubanos começaram a adquirir livremente a telefonia celular -até então restrita somente para empresas e cidadãos estrangeiros- mediante a modalidade de pré-pago em pesos cubanos conversíveis (um peso conversível equivale a US$ 1,08).

Esta autorização se inscreve nas reformas dispostas pelo presidente cubano, Raúl Castro, desde que assumiu o Governo, em 24 de fevereiro.

Entre as medidas estão o alojamento dos cubanos nos hotéis; a aquisição de equipamentos eletrodomésticos como computadores, DVD e televisores, e uma profunda reestruturação do setor agrícola.

Habilitar o serviço custa 111 pesos conversíveis (US$ 120) e o aparelho pode ser comprado a partir de 60 pesos conversíveis, de acordo com as marcas e modelos.

Os investimentos da ETECSA desde 2004 rondam os US$ 100 milhões, o que se traduziu em um crescimento de 300 mil clientes, explicou Lafuente.

O diretor da companhia de telecomunicações afirmou que a ilha garantiu os investimentos necessários para uma expansão sustentada da tecnologia celular e assinalou que, ainda com a ampliação destes serviços, quatro quintos da tecnologia celular em Cuba mantêm seu uso social.

Lafuente disse que atualmente o país tem 253 transmissoras, uma cobertura territorial de 65%, e a populacional chega a 77%, que é deficiente em 43 dos 169 municípios da ilha. EFE rmo/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.