Cuba mostrou à comunidade científica internacional bons resultados no tratamento da leucemia com arsênico --substância conhecida como veneno-- principalmente no tratamento de crianças, disseram neste sábado médicos locais.

"Já tratamos, de 2007 a 2008, dez crianças, de entre 7 e 17 anos e nove delas estão totalmente curadas de sua doença, pois seus hemogramas e mielogramas estão normais atualmente", disse o doutor Sergio Machín, do Instituto de Hematologia e Imunologia de Havana.

Machín e seus colegas, ressalta o jornal Juventud Rebelde, apresentaram a experiência nos congressos de Hematologia, Imunologia, Hemofilia, e Medicina Transfusional e Regenerativa, que terminaram na sexta-feira em Cuba.

O arsênico "é inoculado no paciente em pequenas doses por via parenteral, em soros, todos os dias, durante um período aproximado de um mês ou um mês e meio", explicou o especialista.

Ele indicou que "as leucemias são a proliferação de células jovens ou imaturas, e o trióxido de arsênico é um indutor da maturação celular que as leva à normalidade".

"O trióxido de arsênico que utilizamos nesta doença maligna infantil é de produção nacional; um medicamento extremamente caro no exterior, mas ao alcance de nossa pátria gratuitamente para todos os pacientes", assegurou Machín.

cb/dm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.