Cuba se diz satisfeita com visita de presidente chinês

HAVANA (Reuters) - O presidente cubano, Raúl Castro, disse nesta quarta-feira que está satisfeito com a visita do presidente chinês, Hu Jintao, que reprogramou parte da dívida cubana e confirmou a boa sintonia entre os governos socialistas. Durante visita de 36 horas a Cuba, que terminou nesta quarta-feira, Hu adiou para 2018 o pagamento de uma dívida comercial acumulada por Cuba com a China desde 1995. O montante do débito não foi revelado.

Reuters |

Também foi proposto o pagamento de um crédito de 7 milhões de dólares durante cinco anos e concedido um empréstimo de 70 milhões de dólares para reparar hospitais.

"Foi uma boa viagem, com bons resultados. Como sempre (...) com resultados ótimos", disse Castro a jornalistas depois de se despedir de Hu na manhã de quarta-feira no aeroporto de Havana.

Reprogramar a dívida é importante para Cuba, que atravessa uma difícil situação econômica, acentuada pelos quase 10 bilhões de dólares em danos provocados por três furacões recentemente.

A China é o maior fornecedor de bens de consumo a Cuba e o segundo principal parceiro comercial do país, depois da Venezuela.

O intercâmbio comercial foi de 2,3 bilhões de dólares em 2007, sobre a base de créditos brandos oferecidos pela China,que estão começando a vencer.

O Granma, diário do governante Partido Comunista, dedicou na quarta-feira três de suas oito páginas à visita de Hu, a segunda desde 2004.

A reunião de Hu com Raúl Castro reforça a boa relação entre os dois governos socialistas e "a grande e indestrutível amizade que une os povos cubano e chinês", disse o diário.

Durante a visita, foram firmados acordos para que o açúcar e o níquel cubanos continuem sendo exportados para a China.

A visita de Hu permitiu também que os cubanos pudessem ver as primeiras fotografias do líder Fidel Castro em cinco meses.

O Granma publicou na quarta-feira em sua capa uma fotografia de Fidel de pé, apertando a mão de Hu durante uma reunião realizada na terça-feira.

Castro, de 82 anos, não aparece em público desde que adoeceu, em julho de 2006.

As últimas imagens divulgadas em Cuba eram de uma visita de seu aliado e presidente venezuelano Hugo Chávez, em junho.

(Reportagem de Nelson Acosta)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG