Havana, 19 jun (EFE).- Os doentes de gripe suína diagnosticados em Cuba aumentaram para 15, informou hoje o ministério da Saúde Pública e destacou que todos são viajantes procedentes do exterior.

Os dois últimos são um cubanoamericano de 26 anos e um americano de 17 que chegaram no fim de semana passado dos estados norte-americanos do Texas e da Flórida, respectivamente.

Os 13 doentes anteriores nos quais se confirmou o vírus AH1N1 são turistas e outros viajantes que chegaram entre abril e junho vindos do México, Canadá, Estados Unidos e Espanha, a maioria dos quais já recebeu alta.

Um comunicado do ministério da Saúde Pública detalha que os dois últimos viajantes com gripe suína foram detectados "por um sensor de temperatura" no aeroporto José Martí de Havana e que ambos estão hospitalizados, mas "sua evolução é propícia.

Apesar do nome, a gripe suína não apresenta risco de infecção por ingestão de carne de porco e derivados. EFE am/ma

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.