Cuba recorre a todas suas reservas após passagem de furacões

Havana, 12 set (EFE).- O Governo cubano está recorrendo a todas as reservas do país, incluindo as militares, para atender os milhões de habitantes da ilha desabrigados devido à passagem dos furacões Ike e Gustav, mas não são suficientes, informou hoje a imprensa oficial.

EFE |

É "impossível resolver a magnitude da catástrofe com os recursos disponíveis", afirma o jornal oficial "Granma".

"Seria iludido ou mal-intencionado pensar que as reservas materiais criadas por um país pequeno como Cuba, com limitada capacidade financeira e guerra econômica contra ele por mais de meio século, podem ser suficientes para solucionar o desastre nacional", diz o relatório do jornal.

O "Granma" inclui declarações do presidente do Instituto Nacional de Reservas Estatais (INRE), general Carlos Lezcano Pérez, que disse que as reservas incluem alimentos, combustíveis, materiais de construção, remédios e recursos, além de equipamentos.

O relatório acrescenta que, neste momento, estão sendo utilizadas todas as reservas estatais e militares, "sem exceção", para garantir as necessidades dos milhões de desabrigados.

Segundo números preliminares, o furacão "Ike" deixou em Cuba um saldo de pelo menos cinco mortos, vinte feridos e mais de 200 mil imóveis danificados ou atingidos, 30 mil delas destruídas totalmente, assim como dezenas de milhares de hectares de cultivo arrasadas e grave destruição em infra-estruturas.

Apenas dez dias antes da passagem do "Ike", o furacão "Gustav" destruiu total ou parcialmente 140.000 imóveis, redes telefônicas e elétricas, edifícios de serviços públicos, entre outros. EFE am/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG