Cuba oficializará 1º casamento entre gay e transexual

Celebração será realizada na data do 85º aniversário do ex-presidente Fidel Castro

EFE |

Uma transexual e um homossexual cubanos vão se casar no dia 13 de agosto em Havana, dia em que se comemora o 85º aniversário do ex-presidente Fidel Castro. A celebração é a primeira oficialização de uma união gay realizada na ilha.

Wendy Iriepa, de 37 anos e submetida a uma cirurgia de mudança de sexo em 2007, e Ignacio Estrada, de 31 anos e homossexual soropositivo, se casarão em cerimônia aberta. A madrinha do casal é a blogueira dissidente Yoani Sánchez.

"Nos conhecemos no dia 13 de maio deste ano e pensamos em nos casar três meses depois", conta Estrada, que se considera homossexual, mas diz ter se "apaixonado pela mulher que Wendy é". O casal decidiu casar-se na "polêmica" data de 13 de agosto para destacar o "gigantesco" passo que a união significará para a comunidade de Lésbicas, Gay, Bissexuais e Transexuais (LGBT) do país.

Estrada lembrou que há um ano Fidel Castro admitiu em entrevista a perseguição que pessoas homossexuais sofreram em Cuba no início da revolução, ao tempo que reconheceu sua responsabilidade por não emprestar "suficiente atenção" ao feito que qualificou de "grande injustiça". Ignacio admitiu que este casamento só pôde ser concretizado graças às cirurgias de mudança de sexo promovidas pelo Centro Nacional de Educação Sexual (Cenesex). A instituição, dirigida por Mariela Castro, filha do presidente cubano, Raúl Castro, e sobrinha de Fidel, liderou nos últimos anos uma insistente campanha para sensibilizar nos planos políticos e da opinião pública sobre o respeito à diversidade sexual. Entre suas conquistas está a legalização das operações de mudança de sexo por uma resolução do Governo em 2008.

    Leia tudo sobre: CUBA SOCIEDADE

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG