Cuba lembra Che Guevara no 41º aniversário de sua morte

Centenas de estudantes depositaram flores nesta quarta-feira no mausoléu do revolucionário argentino-cubano Ernesto Che Guevara, no centro de Cuba, no 41º aniversário de sua execução na Bolívia, lembrado com diversos eventos na ilha, informou a imprensa local.

AFP |

Muitos jovens que homenageavam o guerrilheiro, capturado em uma emboscada na cidade boliviana de Santa Clara, receberam atributos como membros da Organização de Pioneiros, cujo lema é "seremos como Che".

A Rádio Rebelde, emissora fundada por Che na época da guerrilha cubana de Sierra Maestra junto com Fidel Castro, transmitiu uma entrevista com Jorge González, médico forense que localizou os restos mortais de Guevara em 1997.

Como um ato anedótico, González, atual reitor do Instituto de Medicina Playa Girón, afirmou que as mãos de Che "estão em Cuba", e opinou que não faz sentido expô-las em um museu, como se queria a princípio, quando foram entregues a Cuba por Antonio Arguedas, ex-ministro do Interior da Bolívia, que também enviou o diário do guerrilheiro.

"A menos que você exponha um corpo mumificado, como é o caso de Lenin, não faz sentido transformar partes de um cadáver em peças de museu", disse o médico.

Cuba comemora o dia 8 de outubro, data da morte de Guevara, como o "Dia do Guerrilheiro Heróico", embora a história conte que ele foi capturado no dia 7, executado no dia 9 e sepultado na madrugada do dia 11 com outros seis guerrilheiros.

O jornal oficial Granma publicou na primeira página uma foto de Guevara e uma frase de Fidel Castro, dita ao jornalista franco-espanhol Ignacio Ramonet pouco antes de cair doente, em 2006.

"É um dos homens mais nobres, mais extraordinários e mais desinteressados que já conheci", disse então Fidel, afastado do poder há dois anos devido a problemas de saúde.

cb/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG