Havana, 10 dez (EFE).- Cuba não tem como prioridade nem perde o sono para retornar a Organização dos Estados Americanos (OEA), afirmou hoje o ministro das Relações Exteriores do país, Felipe Pérez Roque.

O chanceler declarou a jornalistas que a ilha "não tem expectativas, não trabalha nem perde o sono para ser membro da OEA".

Pérez Roque, que abriu em Havana uma oficina internacional sobre direitos humanos, disse que a OEA foi um mecanismo criado com fins de "dominação hemisférica" e "está realmente desprestigiada".

"Há países amigos que até reclamaram o ingresso de Cuba na OEA, mas este não é um tema que seja prioridade para nós", ressaltou o ministro.

O chanceler lembrou que há 40 anos o Governo dos Estados Unidos conseguiu impor aos países da América Latina "uma ruptura com Cuba, o isolamento diplomático com Cuba", mas a ilha "derrotou" essa tentativa e "considera prioritário construir uma nova institucionalidade" na região. EFE rmo/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.