Havana, 24 abr (EFE).- Cuba realizará neste domingo eleições municipais entre chamadas à unidade para responder a campanha internacional contra a ilha, como define o presidente Raúl Castro, e marcadas também por críticas de dissidentes que veem este pleito como uma grande farsa.

Mais de 8,4 milhões de cubanos foram convocados para escolher os cerca de 15 mil delegados (vereadores) das 169 Assembléias Municipais do Poder Popular (Governos locais). Esse tipo de votação é realizada a cada dois anos no país.

Se apresentam a esta votação 34.776 candidatos, escolhidos em mais de 50 mil assembléias realizadas em toda ilha, governada pelo Partido Comunista, o único permitido.

Além disso, 325.464 jovens maiores de 16 anos votarão amanhã pela primeira vez.

A Comissão Nacional Eleitoral estabeleceu a abertura das quase 30 mil mesas de votação para 7h local (8h, Brasília) e o fechamento às 18h (15h, Brasília).

Nos últimos dias, os chamados à unidade e à participação em massa ao pleito foram uma constante nos meios de comunicação da ilha (todos oficiais) como resposta à chamada "campanha midiática" internacional contra Cuba.

No dia 4 de abril, o presidente cubano, general Raúl Castro, afirmou que o país prefere "desaparecer" antes de aceitar a "chantagem" feita pelos Estados Unidos e pela Europa com "manipulações" sobre a vigência dos direitos humanos. EFE sam/pb

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.