Cuba diz que americano detido na ilha segue sob investigação

Havana, 6 jan (EFE).- O presidente do Parlamento cubano, Ricardo Alarcón, afirmou hoje que o cidadão americano detido em Cuba desde dezembro passado segue sob investigação e está muito melhor que as vítimas dos Estados Unidos pelo mundo.

EFE |

"Posso assegurar que está muito melhor, mas muito melhor que as vítimas desses 'contratados' no mundo todo", disse Alarcón a jornalistas, em referência à situação atual do cidadão americano, detido na ilha em 5 de dezembro.

Segundo ele, o americano trabalhava para "uma empresa que contrata para os serviços secretos" dos EUA.

"É uma nova coisa que há nos EUA, que são agentes, torturadores, espiões, que na privatização da guerra os contratam", acrescentou.

O americano teria sido detido por distribuir computadores portáteis, celulares e outros equipamentos tecnológicos na ilha.

Sua identidade não foi revelada e a única informação que se tem é de que se trata de um contratado da empresa Development Alternatives Inc. (DAI), com sede em Maryland, que se dedica a trabalhos de desenvolvimento em outros países. EFE arj/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG