Cumaná (Venezuela), 16 abr (EFE).- O presidente cubano, Raúl Castro, disse durante a 7ª Cúpula da Alternativa Bolivariana para as Américas (Alba) que o grupo tem respostas próprias à crise econômica mundial como, por exemplo, o sistema único de compensação regional de pagamentos, o Sucre, que deve ser aprovado ainda hoje.

"Temos instrumentos para resistir em parte aos efeitos da crise, como o 'Sucre', que é um fator para aumentar o comércio e a integração econômica", disse Raúl Castro.

O presidente cubano deu sua opinião na sessão de abertura da cúpula da Alba, realizada hoje na cidade venezuelana de Cumaná com a presença de representantes da Bolívia, Cuba, Dominica, Equador, Honduras, Nicarágua, Paraguai, São Vicente e Granadinas e Venezuela.

"Não há outra opção senão nos unir para enfrentar a crise", acrescentou Castro, insistindo em que as medidas adotadas pela Alba para esse fim devem ser "independentes da especulação financeira e dos mercados insustentáveis".

O "Sucre" funcionará inicialmente como uma moeda virtual, mas a há intenção de que seja uma moeda física, e uma de suas finalidades será desvincular as trocas comerciais entre os membros da Alba do dólar.

Além de aprovar a criação do "Sucre" e revisar o andamento das iniciativas da Alba, os reunidos pretendem adotar uma posição comum para a Cúpula das Américas que começará amanhã em Trinidad e Tobago.

EFE rr/bba

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.