Cuba descarta instalar no país escudo antimísseis russo

Moscou, 10 nov (EFE) - O ministro de Exteriores de Cuba, Felipe Pérez Roque, descartou hoje a possibilidade de que, na ilha, sejam instalados elementos de um escudo antimísseis russo, similares aos que os Estados Unidos querem colocar no Leste Europeu. Reconhecemos o direito da Rússia de tomar medidas de resposta e de responder à crescente agressão dos Estados Unidos e da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), que pretendem cercá-la, disse Pérez Roque em entrevista coletiva. Questionado diretamente sobre essa possibilidade hipotética, ele respondeu de forma taxativa: A resposta é não. O tema não foi discutido, e o chanceler descartou que a cooperação militar russo-cubana possa desembocar em ações dirigidas contra terceiros países. Sobre as relações bilaterais, o chefe da diplomacia cubana expressou sua confiança em que estas entrem em processo de maturidade e os desencontros sejam coisa do passado. Pérez Roque convidou também as empresas russas a investir em Cuba, e particularmente a participar da prospecção e exploração de petróleo tanto na ilha quanto em águas profundas de sua zona econômica. Ele lembrou que, além do Brasil, participam da exploração de jazidas de petróleo no país empresas de Espanha, Canadá, Noruega, China e Vietnã, e também serão bem-vindas as companhias americanas que desejarem. No entanto, esperamos que a Rússia se transforme em um grande investidor em Cuba no âmbito da energia e do turismo, assim com...

EFE |

Pérez Roque informou que traz uma carta do chefe de Estado cubano, Raúl Castro, para o presidente russo, Dmitri Medvedev, com quem o ministro se reunirá amanhã, assim como o convite para que visite a ilha quando achar oportuno. EFE egw/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG