Cuba descarta ampliar serviço de internet a indivíduos

Havana, 6 fev (EFE).- O Governo cubano atualmente não deve estender o serviço de internet a indivíduos, como fez em 2008 com a telefonia celular, mas é uma possibilidade que não é descartada, informou hoje a imprensa oficial.

EFE |

Em entrevista ao jornal "Juventud Rebelde", o vice-ministro de Comunicações, Boris Moreno, afirmou que a possibilidade de permitir o acesso à internet a cada indivíduo "não se descarta, embora seja algo sobre o qual atualmente não exista uma medida tomada".

Cuba precisaria "ter garantias primeiro do ponto de vista técnico e econômico de que é possível respaldar esse serviço, como fizemos com a telefonia celular", explicou.

No final de março do ano passado, o Governo da ilha autorizou que os cubanos pudessem ativar linhas de telefonia celular, até então só permitido a estrangeiros, companhias e instituições do Estado.

O Governo cubano ressaltou que o acesso dos indivíduos à internet foi restringido devido às medidas do embargo que os Estados Unidos mantêm contra a ilha e que limitam as condições e qualidade da conexão.

A política oficial foi "privilegiar os acessos coletivos" em universidades, centro científicos, culturais, entre outros, e o desenvolvimento de uma rede nacional.

Sobre o projeto de cabo de fibra óptica que ligará Cuba com a Venezuela para facilitar o acesso da ilha à rede e que deve operar a partir de 2010, o vice-ministro disse que não será a "solução mágica". EFE arj/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG