Cuba aumenta em 5 anos idade para aposentadoria

HAVANA (Reuters) - O governo cubano aumentará em cinco anos a idade mínima para aposentadoria, a fim de elevar as pensões e compensar o rápido envelhecimento populacional, disse a imprensa oficial na quinta-feira. Um projeto de lei a ser apresentado na sexta-feira no Parlamento amplia de 60 para 65 anos a idade de aposentadoria para os homens e de 55 para 60 para as mulheres, segundo a agência de notícias AIN.

Reuters |

'Será um processo que se aplicará pouco a pouco [...]. Não serão medidas com o dramatismo neoliberal', disse o ministro de Seguridade Social, Alfredo Morales, a uma comissão parlamentar.

O governo calcula que em 2025 cerca de um quarto dos cubanos terá mais de 60 anos, uma cifra elevada para os padrões da América Latina. Isso, segundo Morales, implicará uma redução de 770 mil pessoas na força de trabalho em comparação a 2007.

Outros países com o mesmo problema, como a Itália, elevaram a idade de aposentadoria para financiar a previdência.

O ministro afirmou que a lei deve ser aprovada em dezembro, na segunda reunião anual do Parlamento, e entrará em vigor gradualmente entre 2009 e 2015.

A AIN disse que a nova lei eleva o valor das pensões e oferece 'pagamentos adicionais' para cada ano trabalhado além do mínimo de 30.

Em abril, o governo de Raúl Castro anunciou que o valor das aposentadorias subiria até 20 por cento, até o teto de 400 pesos (17 dólares), igual ao salário médio cubano. Desde a década de 1990, alguns trabalhadores cubanos pagam uma contribuição previdenciária de 5 por cento. Raúl já disse que, no futuro, todos os trabalhadores deverão contribuir.

(Reportagem de Esteban Israel)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG