Ike - Mundo - iG" /

Cuba aguarda em alerta chegada do furacão Ike

HAVANA - Centenas de milhares de pessoas evacuadas, longas filas nos supermercados e mobilizações para garantir a segurança dos bens são um retrato hoje de Cuba, à espera do perigoso furacão Ike, que deve chegar esta noite ao país.

EFE |

O Instituto de Meteorologia (Insmet) local detalhou que a trajetória do furacão, de categoria quatro na escala Saffir-Simpson (até cinco), deve atingir Cuba nas proximidades de Punta Lucrecia, na província oriental de Holguín, entre as 22h e 23h (23h e 0h de Brasília).

Uma semana depois de "Gustav" - outro furacão de categoria quatro - ter arrasado o oeste cubano, deixando 140 mil imóveis danificados ou destruídos e causando grandes perdas na agricultura e em infra-estruturas, a imprensa cubana repete hoje insistentemente que "Ike" é "extremamente perigoso".

Desde a manhã, quando a Defesa Civil ditou o "alerta ciclônico" para as províncias orientais de Guantánamo, Santiago de Cuba, Granma, Holguín, Las Tunas e Camagüey, as filas foram crescendo nos supermercados e postos de gasolina de diferentes pontos do país.

Desde sábado, a população tenta se abastecer de alimentos básicos, água e combustíveis, enquanto hoje começaram as evacuações na região oriental, fundamentalmente em zonas baixas próximas a rios e ao litoral.

Só em Camagüey mais de 250 mil deixarão suas casas hoje, segundo disseram autoridades locais à Agência Efe.

Nessa província, que há 15 anos não é atingida por um furacão, crescem os pedidos à população para que se doe sangue, procure lugares seguros e guarde água potável para vários dias.

Cerca de 140 mil pessoas estão sendo evacuadas em Santiago de Cuba, província com a qual o presidente Raúl Castro fez contato hoje para se informar sobre o andamento dos preparativos para enfrentar o furacão, disse a imprensa local.

Em Varadero, principal destino turístico de praia da ilha, cerca de 13 mil turistas cubanos e estrangeiros foram levados a locais seguros desse balneário da província de Matanzas, e milhares de pessoas estão sendo evacuadas em Guantánamo e Granma.

Paralelamente, a Defesa Civil e diferentes organismos oficiais trabalham para salvar máquinas de irrigação, armazéns e cultivos avícolas e suínos, enquanto transferem o gado para zonas altas em várias províncias.

O primeiro vice-presidente de Cuba, José Ramón Machado, pediu à população que não espere que as condições meteorológicas piorem para evacuar e que comece a proteger seus bens, pois o furacão "destrói tudo em questão de horas".

As autoridades também alertaram que o ciclone certamente deixará boa parte do país sem energia elétrica.

As bebidas alcoólicas foram proibidas nas províncias em alerta e as autoridades pedem que a população doe sangue.

O Insmet anunciou que ocorrerão fortes ressacas no litoral norte oriental, com perigo de "inundações litorâneas significativas", assim como chuvas "fortes e intensas".

Os ventos do furacão começarão a ser sentidos horas antes da chegada do ciclone a território cubano.

"Ike" se desloca rumo ao oeste a 21 km/h, com ventos máximos sustentados de 215 km/h.

O olho do ciclone tem 41 quilômetros de diâmetro e os ventos um raio de 75 quilômetros. Por essa razão, toda a ilha, inclusive as regiões que nunca foram atingidas por um furacão de categoria quatro, deverá se manter em alerta durante as 36 horas da passagem do ciclone por Cuba.

Leia mais sobre: furacão Ike

    Leia tudo sobre: furacãoike

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG