Nações Unidas, 2 jun (EFE).- Os membros do Conselho de Segurança (CS) da ONU poderiam debater no final desta semana um projeto de resolução que imponha sanções à Coreia do Norte por seu recente teste nuclear, disse hoje o atual presidente do órgão, o embaixador turco Baki Ilkin.

O diplomata disse que o Conselho de Segurança está à espera de que seus cinco membros permanentes (China, Rússia, EUA, França e Reino Unido) acordem com Japão e Coreia do Norte o conteúdo do documento.

"Esperamos ter o texto em breve, ao longo da semana", apontou Ilkin em coletiva de imprensa. A Turquia assumiu na segunda-feira a Presidência rotativa do principal órgão das Nações Unidas.

O embaixador turco, que também preside o comitê de sanções do Conselho de Segurança, indicou que não se importa em esperar "um ou dois dias" para contar com um documento que possa ser apoiado por todos os membros do órgão.

"É um texto complexo e é preciso assegurar que seja bem feito", apontou.

As cinco potências do CS, mais Japão e Coreia do Sul, estão há mais de uma semana negociando o conteúdo da resolução, que poderia ampliar as sanções vigentes sobre o regime comunista.

Uma das possibilidades é fortalecer as sanções impostas após o teste norte-coreano de 2006 e que até agora não se implementaram, segundo fontes diplomáticas.

Outra possibilidade é a ampliação da lista de indivíduos e empresas estatais norte-coreanas afetadas pelas sanções e até a imposição de novas restrições econômicas.

No entanto, China e Rússia se mostraram reticentes em adotar uma resolução séria demais que elimine toda possibilidade de retomar o diálogo com Pyongyang.

A única minuta que por enquanto a imprensa teve acesso contempla a condenação ao teste nuclear realizado em 25 de maio pelo regime comunista norte-coreano, e que foi seguido pelo lançamento de vários mísseis.

Também exigiu a Pyongyang que retorne ao processo negociador iniciado em Pequim em 2003, que está paralisado desde dezembro passado.

O texto também lembra à comunidade internacional a obrigação de cumprir as sanções que há três anos pesam sobre a Coreia do Norte.

O ministro de Assuntos Exteriores chinês, Yang Jiechi, e o chanceler japonês, Hirofumi Nakasone, concordaram hoje sobre a necessidade de que o Conselho de Segurança adote uma resolução rápida e dura contra Pyongyang. EFE jju/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.