Cruzeiro italiano repele ataque de piratas

Por Helen Nyambura-Mwaura NAIRÓBI (Reuters) - Um cruzeiro italiano usou armas e um extintor de incêndio para repelir um ataque de piratas ao largo da costa leste da África, informou o capitão da embarcação neste domingo.

Reuters |

Em outro caso, piratas libertaram um petroleiro iemenita, o Sea Princess II, disse à Reuters um funcionário marítimo queniano que monitora a crescente pirataria ao largo da Somália.

O comandante Ciro Pinto, do MSC Melody, que tem capacidade para transportar 1.500 passageiros e tripulantes, informou que seu navio sofreu danos leves por disparos feitos pelos piratas.

O navio foi atacado quando estava a 320 quilômetros ao norte das ilhas Seychelles e 960 quilômetros ao largo da costa da Somália. "Eles começaram a disparar contra o navio como loucos", contou o capitão à TV italiana Skytg23.

Ele disse que pistolas foram entregues a funcionários de segurança do navio e eles abriram fogo contra os piratas quando estes tentaram subir pelas laterais do navio.

"Eles começaram a montar uma escada com ganchos. Estavam subindo pela escada, então reagimos. Começamos a disparar. Quando eles nos viram disparar --chegamos a jogar jatos de água contra eles--, desistiram e foram embora", contou.

O bando de piratas seguiu o Melody por mais 20 minutos, disparando todo o tempo, acrescentou o comandante.

"Enquanto isso, os passageiros estavam dentro da cabine. Não houve feridos. Apenas duas pessoas que sofreram arranhões", disse. "Alguém escorregou e caiu. (Foram) apenas arranhões leves."

Embora a ação adotada no navio pode ter salvo o Melody de ser capturado, o funcionário marítimo queniano disse que ela apenas colocou a vida dos passageiros em risco.

"Ter armas num navio de passageiros ou mercante é perigoso. Eles deveriam ter usado outros meios para afastar os piratas, como um aparelho acústico", disse Andrew Mwangura, do Programa de Assistência a Viajantes Marítimos na África Oriental, com sede em Mombasa.

Ele se referia a um aparelho que produz um som ensurdecedor, usado para impedir o avanço de piratas.

Mwangura informou que piratas libertaram um petroleiro iemenita também neste domingo. A embarcação tinha sido desviada em 2 de janeiro, quando transportava produtos petrolíferos. Tinha 15 tripulantes, incluindo oito marinheiros indianos.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG