Cruzando os EUA: No Missouri, eleição começa na escola

Kayla Hager, de 11 anos, está acompanhando as eleições presidenciais de perto. Depois de sua professora ter pedido aos alunos de sua classe para que estudassem os candidatos, ela se tornou fascinada pela corrida à Casa Branca.

BBC Brasil |

"Eu não estava interessada antes", disse ela. "Mas agora que estou fazendo essa tarefa, acompanho tudo".

O envolvimento dos mais jovens com a política parece ser uma coisa especial do Missouri. Aos 11 anos, eu mal sabia o que era uma eleição.

Na sala de música do colégio Poplar Bluff Fifth and Sixth Grade Center, Kayla me disse que quer que Barack Obama seja eleito - ela gosta de suas políticas de educação e ambiente. No entanto, a maioria dos adultos com quem conversei não pareceu tão animada com nenhum dos dois candidatos.

Na superfície, essa escola de cidade pequena parece um milhão de milhas distante do tumulto que atinge Wall Street e Washington.

Mas está mais perto do que você pode imaginar. O orçamento para educação no Missouri é financiado pelos impostos imobiliários. Se o mercado continuar a recuar, os fundos disponíveis para as salas de aula do Estado também serão reduzidos.

O custo humano da crise econômica estava muito visível para a professora de quinta série Joan Lack, de 32 anos. Ela já ouviu algumas histórias de partir o coração contadas por seus alunos.

"Tivemos uma aluna que contou que sua família não conseguiu pagar a conta de luz. Quando eu tinha 10 anos, não sabia o que era uma conta de luz", disse."Tenho medo que deixem a escola e cresçam no meio de uma depressão", confessa.

Como eu já tinha notado, Missouri é um Estado de liderança no que diz respeito às eleições. Eu não fiquei surpreso ao ouvir que a economia era uma questão super importante por aqui. Mas parece que a educação é bem preocupante também.

A mãe de Kayla, Brandy, de 34 anos, ainda não decidiu em quem irá votar. Ela trabalha em uma loja de móveis e já percebeu uma queda nas vendas e uma crescente ansiedade nos clientes.

Apesar disso, o que realmente a preocupa é a escola dos filhos e, em particular, uma série de reformas recentes introduzidas no sistema de educação do Estado.

Em 2002, a lei No Child Left Behind Act introduziu exames obrigatórios aos estudantes. Os resultados foram publicados e as escolas que não demonstrassem melhoria seriam sujeitas à sanções severas.

Com planos ambiciosos para Brandy, Kayla ficou frustrada que crianças com bom desempenho estavam sendo ignoradas - porque a pressão sobre as professoras é por um melhor desempenho dos alunos mais fracos da classe.

"Não senti que as necessidades dos meus filhos foram atendidas", reclamou.

"Eles são bom alunos, conseguem bons resultados. Mas a No Child Left Behind não faz nada por eles".

Nem todos concordam. A diretora, Patty Robertson, estava orgulhosa que a escola havia feito progresso no ranking das escolas. Ela me guiou pelos corredores, e eu vi filas de meninos e meninas de 10 e 12 anos felizes esperando pelas aulas. Me pareceu um bom lugar para aprender.

Patty não acredita que as reformas na educação tenham sido perfeitas. Para ela, o objetivo de fazer com que cada estudante seja proficiente em leitura e matemática até 2014 é inatingível e não leva em consideração crianças com necessidades especiais.

Patty pensava que um empurrão era tudo o que era preciso para fazer a política funcionar. Com a aproximação das eleições, ela estava preocupada em eventualmente ser obrigada a fazer uma escolha entre um candidato que iria drasticamente mudar as políticas e outro que iria deixar tudo estagnado.

"Estou preocupada com ambos. Tenho receio que não teremos mudanças se McCain for eleito", disse a diretora.

"Mas com Barack Obama - bom, não queremos que tudo seja mudado. Então acho que ainda estou decidindo", afirmou.

Então esse é o Missouri. E a história sugere que o resto do país vai prestar atenção no que acontece por aqui.

*Jon Kelly é jornalista da BBC e está cruzando os Estados Unidos em um ônibus. Por onde passa, ele entrevista americanos sobre qual é o melhor rumo para o país
Posts anteriores

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG