Genebra - O Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho informou hoje que pediu US$ 5,9 milhões para comprar artigos de primeira necessidade destinados às vítimas do ciclone Nargis em Mianmar (antiga Birmânia).

Clique na imagem e veja o infográfico sobre a formação dos ciclones



Segundo a avaliação inicial da organização humanitária, os desabrigados precisam urgentemente de refúgios temporários, água e mosquiteiros.

A organização é integrada por 186 sociedades nacionais da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho, o que lhe permite contar com uma rede de voluntários locais e, com isso, responder rapidamente a situações de emergência.

Sobre a situação em Mianmar, a organização esclareceu que o dinheiro solicitado faz parte de um pedido preliminar que será revisado quando houver informações mais detalhadas sobre as necessidades dos desabrigados e a amplitude de sua operação nesse país.

Segundo números fornecidos pelas autoridades birmanesas, o ciclone que atravessou o sul do país no fim de semana matou 22.500 pessoas e deixou outras 41.054 desaparecidas.

No sábado passado, as autoridades declararam estado de emergência nas regiões de Yangun, Pegu e Irrawaddy e nos Estados Karen e Mon.

Reuters
Imagem tirada pela Real Força Aérea da Tailândia mostra a destruição na cidade de Yangun, nesta terça-feira
Imagem desta terça-feira mostra a destruição na cidade de Yangun

No entanto, 800 toneladas de arroz continuam paradas nos armazéns do Programa de Alimentos das Nações Unidas à espera do sinal verde das autoridades para que sejam distribuídas.

Também está prevista para esta terça-feira a chegada da primeira carga de alimentos, medicamentos e outros materiais de emergência vindos da vizinha Tailândia, um dos principais parceiros do regime militar.

A população nas regiões afetadas vive há três dias sem o fornecimento de água e eletricidade, e os preços dos artigos básicos dispararam devido à escassez e à especulação. 
Reuters
erqwrwrqw
Fotos de satélite da Nasa mostram a aproximação do ciclone "Nargis"

"Campo de batalha"

Segundo testemunhas, Yangun, a antiga capital e a maior cidade do país com cerca de cinco milhões de habitantes, parece ter sido um campo de batalha.

AFP
Milhares de árvores foram derrubadas pelos fortes ventos, que atingiram uma velocidade superior a 190 km/h, e atrapalham a passagem nas ruas.

As comunicações, em particular com o exterior, funcionam precariamente e a rede de internet permanece cortada desde sexta-feira passada.

Segundo um funcionário local, o aeroporto de Yangun reabriu na segunda-feira com um gerador "que só estará em funcionamento por cinco ou seis horas".

A Cruz Vermelha começou a distribuir ajudas básicas entre os milhares de desabrigados, como plásticos para cobrir os telhados arrancados pelo ciclone, ou pastilhas para tornar a água potável, além de cobertores e roupa.

Mianmá está localizada no sudeste asiático
(*Com informações da BBC, Reuters, Ansa e AFP)
Leia também:
  • Plebiscito é adiado nas áreas atingidas
  • Governo birmanês declara estado de emergência
  • Autoridades de Mianmá advertem para risco de epidemia 
  • ONU, UE e Estados Unidos oferecem ajuda aos birmaneses

  • Leia mais sobre: ciclones - Mianmá

      Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.