Genebra, 28 dez (EFE).- O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) pediu hoje que se permita a entrada de ajuda humanitária à Faixa de Gaza, em particular de equipamentos e material médico para atender aos feridos em decorrência da ofensiva militar de Israel.

O CICV, citando fontes palestinas, destacou que os ataques provocaram pelo menos 275 mortos e mais de 950 feridos até o momento.

O Comitê relatou que uma israelense morreu e vários ficaram feridos pelo lançamento de foguetes contra Israel a partir de Gaza.

Segundo o depoimento de uma das colaboradoras do CICV na zona das hostilidades, "as pessoas em Gaza têm medo de sair à rua, enquanto os hospitais estão lotados e não podem atender à magnitude nem ao tipo de ferimentos que estão se apresentando".

O CICV lembrou que a grande quantidade de feridos põe sob uma extrema pressão os hospitais, que, antes da ofensiva israelense, tinham problemas para funcionar devido à falta de material e equipamentos médicos.

Soma-se a isso que as reservas de remédios já se esgotaram devido às dificuldades dos últimos meses para a entrada desses produtos em território palestino.

Esta se transformou a prioridade do CICV, destacou o chefe da delegação da organização em Israel e nos territórios ocupados, que também disse que é fundamental que se permita a entrada da ajuda humanitária em geral.

Por enquanto, foi possível fornecer medicamentos a dois hospitais e que, nesses centros médicos, foram atendidos "centenas de feridos". EFE is/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.